Resenha do Pinguim #4 – Lições do Robert Kiyosaki

Se você já se interessou por educação financeira na vida, há grande chance que você recebeu os livros do autor havaiano Robert Kiyosaki como recomendação, especialmente o seu bestseller Pai rico, Pai pobre. Para muitos, eles são como uma bíblia da educação financeira, com muitos empreendedores e investidores se referindo a este livro especificamente como o ponto de mudança de suas vidas.

Quando eu li o Pai Rico, Pai Pobre (PRPP) pela primeira vez, eu não possuía muito conhecimento financeiro, e assim muitos dos conceitos deste livro me pareceram controversos, até polêmicos. E não é à toa; em vários lugares você pode achar resenhas e opiniões sobre o Kiyosaki chamando-o de charlatão, mau-caráter, hipócrita (a empresa dele que promove o livro foi a falência), etc. Inclusive, há os argumentos que o “Pai Rico” em si nunca de fato existiu.

Uns 5 ou 7 livros de finanças depois, me deparei com a continuação desse livro, Rich Dad’s guide to Investing. A leitura deste livro, e o meu correspondente amadurecimento financeiro, mudou completamente o meu entendimento do primeiro, e tudo que Kiyosaki fala começou a fazer mais sentido. Vi que haviam conceitos desafiadores, intrigantes, mas que, dado um olhar crítico, faziam sentido para alcançar o sucesso financeiro.

Esta resenha irá cobrir os conceitos comuns aos dois livros combinados.

Continuar lendo “Resenha do Pinguim #4 – Lições do Robert Kiyosaki”
Anúncios

Educação Financeira #2 – Como começar a Investir?

Abril é o mês da Educação Financeira no Pinguim Investidor! Veja mais posts desta categoria aqui.


No post passado, mostrei quais são os conceitos básicos na educação financeira. Vimos o que é cash flow, como se acumula o patrimônio até chegar na renda passiva, o que pode te possibilitar a atingir a independência financeira.

O investimento é central para atingir esta meta: sem ele não é possível obter renda passiva. Por isso, muitos ao descobrirem a educação financeira começam a focar toda as suas energias para o ato de investir, procurando estudar a fundo a melhor forma de investir, os melhores produtos e rentabilidades com menor risco.

Este approach não necessariamente é ruim, mas acaba por omitir alguns passos importantes do processo, que é a preparação antes do investimento. Desta forma, a pedidos de outro leitor, escrevi este guia rápido para explicar quais cuidados e preparação você deve tomar antes de começar a entrar no mundo dos investimentos.

Continuar lendo “Educação Financeira #2 – Como começar a Investir?”

Educação Financeira #1 – O básico do básico

Abril é o mês da Educação Financeira! Seguindo o espírito, o Pinguim Investidor está voltando aos básicos e ensinando os fundamentos do caminho à independência financeira.


Um dos primeiros posts que coloquei no site é entitulado de “O que significa ficar rico, afinal?” Neste post expliquei o conceito da regra dos 4% e o que ela significa para alcançar o estado de “riqueza” mas percebi que talvez alguns fundamentos necessários para entender por completo não haviam sido esclarecidos no post. Então, a pedido de alguns leitores do blog, decidi voltar ao básico para esclarecer os conceitos básicos da independência financeira. Cada sessão desse post será expandida em um artigo dentro desta série.

Continuar lendo “Educação Financeira #1 – O básico do básico”

Abril: o mês da educação financeira

Sempre tem uma coisa especial com o mês de Abril. Quando você é criança, espera ansiosamente a Páscoa para se encher de chocolate. Tem uns feriados legais como Tiradentes e o descobrimento do Brasil. Ou então o Outono começa a trazer finalmente a brisa fresca pra finalmente poder desligar o ar condicionado. Ou, se mora no hemisfério norte, vem a Primavera florir a paisagem e derreter o gelo no chão.

Abril também significa obrigações fiscais no mundo inteiro. É engraçado, mas o mundo inteiro por algum motivo coordena a declaração de impostos ao redor deste mês, com a única diferença sendo qual dia do Mês isso ocorre. No Japão o ano fiscal começa já no dia primeiro. Nos Estados Unidos, geralmente é 15 de Abril, e no Brasil temos até o último dia pra fazer o notório IR.

Com tanto foco em finanças, proponho fazer de Abril o mês da educação financeira. Não vamos mais reclamar de Abril e os deadlines dos impostos, mas ao invés disso investir nosso tempo para aprender mais sobre finanças pessoais e aumentar nosso conhecimento.

Vamos arranjar soluções para quitar nossas dívidas, que já afetam quase 90% de todos os Brasileiros, e que nos levam a cada vez mais procurar empréstimos mais baratos ao invés de diminuir os gastos e aumentar a renda, que solucionaria o problema de uma vez por todas.

O primeiro passo para caminhar nesta direção é conhecer o assunto, mas infelizmente a maioria das pessoas (inclusive eu no passado!) ignora finanças por terem idéias pré-concebidas a respeito (dinheiro não traz felicidade, dinheiro é ganância, etc), ou por considerarem um assunto chato, sem interesse nenhum. Esta é a forma errada de pensar. Vamos fazer do desenvolvimento pessoal nossa fonte de sucesso.

Não precisa ser complicado, também. Quite suas dívidas. Junte 3 a 6 meses de custos de vida na poupança como reserva. Se chegar até aqui já está melhor que 90% da população. Aí sim comece a investir, ou nos títulos públicos ou leia mais sobre a renda variável, indo devagar e sempre, distribuindo os riscos.

E é isso aí. Durante o resto do mês, vou tentar postar mais coisas sobre este pilar crucial que é a educação financeira, então fiquem ligados

Ah, e enquanto isso, vamos tentar maneirar no ovo de páscoa? É um favor para tanto a sua saúde quanto pra sua carteira.

Abraços!