podcast do pinguim

Podcast do Pinguim – Dinheiro e Liberdade Pessoal

Se existe um único conceito que todos deveriam aprender quando se trata da educação financeira, este é a relação entre o dinheiro e a liberdade pessoal.

Os ricos não perseguem o dinheiro simplesmente para cegamente acumulá-lo; eles possuem um propósito maior para acumular esse dinheiro. E a verdade é que, gostando ou não, o dinheiro se tornou a medida mais próxima de liberdade que possuímos na vida moderna.

Pense nisso: você poderia ir para uma casa de praia passar uma temporada se quisessse? Provavelmente não, e a razão principal não deve ser a falta de dinheiro, mas sim a falta de tempo e permissão. Você está atado ao seu emprego atual, o que lhe limita a liberdade de ir onde você quer e quando você quer.

Colocando o dinheiro em abundância nesta equação, duas coisas acontecem: você passa a não se preocupar tanto com o seu emprego atual (afinal, você não depende mais do salário), e você passa não se preocupar com o tempo que estaria improdutivo, sem render um salário. E quando você atinge a independência financeira, é exatamente isso que acontece.

Neste episódio, exploro como a procura por riqueza é – no final das contas – sempre em relação à liberdade, e como suas decisões financeiras podem te aproximar ou afastar deste destino tão sonhado.

Continuar lendo “Podcast do Pinguim – Dinheiro e Liberdade Pessoal”

É possível ficar rico investindo na poupança?

Seria possível ficar rico investindo apenas na poupança? Eu acredito que sim.

Será que deu a louca no Pinguim? Será que as perdas na crise causaram insanidade e regressão para os seus tempos pré-educação financeira? Será o fim da credibilidade deste site?

Muito pelo contrário. Mesmo com o medo e pânico generalizado na bolsa, estou calmo e mantendo o meu planejamento em curso. E enquanto há várias razões e casos nos quais devemos fazer uso da poupança e dos bancos durante o nosso curso até a independência financeira, acredito que a poupança não deve ser considerada uma forma sequer de investimento.

Ainda assim, concluo que é possível sim enriquecer e talvez até se tornar independente financeiramente até mesmo se o seu único investimento seja a caderneta de poupança. Como isso seria possível? A resposta envolve educação financeira e disciplina na rotina, e de longe não é a forma mais eficiente de se realizar a tarefa – mas não significa que seria impossível de realizar. O que isso prova, porém, é que enriquecer é uma questão matemática, e consequentemente possível para todos.

Vou mostrar como neste post.

Continuar lendo “É possível ficar rico investindo na poupança?”

As cinco dimensões da riqueza

Quando se trata do seu objetivo de vida, muitos preferem escolher âmbitos e metas que tentam mais refletir um bom estilo de vida e tranquilidade com paz de espírito. Gostaria de viajar pelo mundo, dizem. Quero uma casa no campo e uma vida tranquila. Ter tempo para a minha família todos os dias. Ter a liberdade para fazer tudo aquilo que eu quiser sem precisar correr riscos ou fazer algum sacrifício. Quem pensa em dinheiro ou ser rico como objetivo de vida é tido como ganancioso ou mesquinho.

O que não fica explícito, porém, é que cada um destes objetivos precisa de dinheiro para acontecer. Nenhum deles poderia acontecer sem a pessoa necessariamente estar numa condição de Independência Financeira para realizá-los. E assim, revela-se a necessidade de ter riqueza como condição primária para a sua liberdade básica, mas esta liberdade não está simplesmente apenas no quesito financeiro.

Existem cinco dimensões distintas da riqueza que você precisa dominar para se tornar uma pessoa bem-sucedida e realmente conseguir alcançar seus objetivos de vida, quaisquer que estes sejam. Quando apenas algumas destas dimensões são cumpridas, o resultado é uma vida desbalanceada, onde o foco se encontra apenas em ganhar dinheiro e esquecer o resto da vida e não se atribui sentido no processo. O resultado é uma tendência a ser desencorajado e a depressão. Portanto, é importante manter sempre em mente estas dimensões quando falamos de riqueza. Ao invés de tratar o dinheiro como a coisa mais importante do mundo, as pessoas ricas entendem cada uma das dimensões da riqueza e as incorporam em suas vidas.

Explicarei mais sobre estas dimensões da riqueza neste post.

Continuar lendo “As cinco dimensões da riqueza”

Resenha do Pinguim #6 – The 10X Rule de Grant Cardone

Hora de mais uma resenha de livro, desta vez de uma figura que alguns meses atrás mencionei rapidamente como um palestrante motivacional e que treinava equipes de vendas nos EUA: Grant Cardone. Desde então, passei a acompanhá-lo bastante em seu canal no YouTube, o suficiente para que pudesse pegar alguns de seus conceitos-base e resolver me aprofundar em um de seus livros. Os ensinamentos dele foram sólidos para firmar a filosofia sobre um conceito: sucesso.

O que é o sucesso pra você? É um destino, como a linha de chegada lá no final da corrida? Ou seria algo dinâmico, como o horizonte, que nunca se alcança, mas se transforma a cada passo que você dá? A sua percepção pessoal sobre o sucesso faz a diferença entre você alcançá-lo ou não.

No livro The 10X rule: the only difference between success or failure (versão em Português aqui), Grant explica que, quando o assunto é sucesso, a maioria das pessoas fracassam por simplesmente não pensarem e se prepararem em escalas grandes o suficiente, ou, em outras palavras, como 10X.

Continuar lendo “Resenha do Pinguim #6 – The 10X Rule de Grant Cardone”

Resenha do Pinguim #5 – Série Milionários de Thomas Stanley

Depois de um grande hiato na série, o Pinguim está de volta com mais uma resenha. Desta vez, falo sobre os trabalhos do Dr Thomas J Stanley, um pesquisador Americano especialista na vida dos Milionários e High Net Worth Individuals (HNWI) dos EUA.

Provavelmente muitos da Finansfera já ouviram falar pelo menos do primeiro livro dele, The Millionaire Next Door onde ele quebra alguns mitos sobre o que significa ser milionário, mas nunca ouvi ninguém mencionando seu outro livro, follow-up do anterior, The Millionaire Mind (não confundir com o Secrets of the Millionaire Mind de T. Harv Eker, também muito bom que li, mas aborda outro contexto). Este post, assim como o anterior do Kiyosaki, irá cobrir ambos os livros.

Incidentemente, foi só depois de terminar os dois que descobri que ele havia falecido em 2015, então este post também fica como um tributo para os seus trabalhos.

Estes dois livros possuem o dom de serem altamente didáticos, com leitura fácil e simples de compreender até por um leigo, e ao mesmo tempo serem altamente técnicos com conceitos de estatística e matemática aplicada dignos de um candidato a doutorado fazendo tese. Felizmente, comparado com o Early Retirement Extreme, a leitura destes é muito mais fluida.

Stanley tem um hábito como pesquisador e acadêmico de abreviar muitos de seus termos utilizados como PAW, UAW, IA, BA, EPH, EOC, etc, e irei reproduzir alguns neste post para padronizar.

Vamos ver quais insights dos milionários podemos aprender.

Continuar lendo “Resenha do Pinguim #5 – Série Milionários de Thomas Stanley”

Comentário do Pinguim: InfoMoney – 7 sinais de que você nunca será rico

Este post completa 50 posts no Pinguim Investidor! Fiquem ligados para outros 50 em breve!


Olá, Finansfera! Esta semana um leitor me enviou um artigo do InfoMoney sobre alguns hábitos financeiros ruins que impedem as pessoas de alcançar a independência financeira.

InfoMoney – 7 sinais de que você nunca será rico

O artigo é rápidamente digerido é recheado de insights interessantes, alguns que se alinham com a filosofia do Pinguim, outros soam esquisito aos meus ouvidos frugais.

Vamos ver como este artigo do InfoMoney se alinha com a filosofia do Pinguim.

Continuar lendo “Comentário do Pinguim: InfoMoney – 7 sinais de que você nunca será rico”
Ma looking at horizon - Freedom by Almos Bechtold on Unsplash

Quão importante é ganhar dinheiro pra você?

No fim de 2008, em meio à crise imobiliária dos EUA, Elon Musk tinha uma escolha difícil a fazer: sofrer para ganhar mais dinheiro no futuro, ou viver confortavelmente agora como mais um novo milionário Americano? Ele escolheu o dinheiro, e quase cometeu suicídio financeiro pessoal ao fazer isso.

Musk alocou o seu patrimônio completo de 180 milhões de dólares, sua maioria vindo da sua venda do PayPal, para suas novas empresas, distribuindo 5% para SolarCities e 55% para a sua já existente SpaceX, e o restante todo para a Tesla. No fim da jogada, estava tão quebrado que não possuia dinheiro nem para pagar seu próprio aluguel e teve que pedir emprestado para amigos.

A escolha de Musk foi algo que dificilmente vemos na sociedade. Poucos teriam tanta coragem para fazer um investimento de tamanho risco tão bruscamente, especialmente em áreas que ainda são tão novas e pouco conhecidas do mercado. Ainda assim, não há dúvida que a jogada foi um sucesso: no início de 2019, Musk possuía um patrimônio de 21 bilhões de dólares.

Falar de coragem e visão nesta história é comum. Porém, um lado pouco explorado desta história é a motivação de Musk: a vontade de ganhar dinheiro. No caso dele, era tão forte que ele escolheu ganhar dinheiro ao invés de ter seguramente um lugar para morar. Por que?

Porque ele sabia que ganhar dinheiro é mais importante do que ter uma casa.

Continuar lendo “Quão importante é ganhar dinheiro pra você?”
Photo by simon peel on Unsplash

Qual é a maneira mais simples de ganhar 1 milhão de reais?

Em Agosto de 2005, um estudante universitário na Inglaterra com dificuldades em pagar sua mensalidade embarcou num projeto audacioso: ganhar um milhão de dólares com um website de uma página só. Um ano depois, seu objetivo não apenas foi alcançado, mas ele o superou com 37 mil dólares a mais. Qual o método que este brilhante empreendedor utilizou? Serviços de propaganda online? Marketing afiliado? Crowdfunding? Parceria com empresas de Tecnologia?

Nada disso. Alex Tew simplesmente reservou 1 milhão de pixels da página do site e vendeu cada pixel disponível por um dólar.

Hoje em dia fala-se muito da criatividade do empreendedor para conseguir achar novos mercados, quebrar paradigmas atuais de negócios, dominar o mercado atual, etc. Mas ganhar dinheiro não necessariamente requer estas estratégias, nem operar investimentos, já que o investimento é o que te mantém rico, não o que te deixa rico.

Muitos ainda se esquecem que há um conceito simples que rege toda e qualquer forma de se ganhar dinheiro: a aritmética.

Continuar lendo “Qual é a maneira mais simples de ganhar 1 milhão de reais?”

3 Mitos da Renda Passiva explicados

A renda passiva é tida por muitos como o Santo Graal da Independência Financeira. “Se você não encontrar um jeito de ganhar dinheiro enquanto dorme, você vai trabalhar até morrer” já dizia o Warren Buffett. Robert Kiyosaki, em seu livro Rich Dad’s guide to Investing, diz que o objetivo do investidor sofisticado é converter renda salarial em renda passiva ou renda de portfólio. E nem precisamos falar dos inúmeros vídeos do YouTube mencionando jeitos de se ganhar dinheiro de forma “passiva” pela internet.

Claramente, a renda passiva é importantíssima para a saúde financeira de qualquer indivíduo e, no caso dos mais ricos, ocupa a maior parte da renda recebida por eles. Porém, assim como muitos outros termos que caíram na moda, houve uma distorção no entendimento desta expressão, e assim muitos algumas pessoas se confundem sobre o que realmente implica a renda passiva e como ela funciona de na prática. Este post irá clarificar alguns desentendimentos comuns.

Continuar lendo “3 Mitos da Renda Passiva explicados”

Confrontando o cotidiano #3 – “Ninguém nunca ficou mais pobre por quinze reais.”

Mais um post da série confrontando o cotidiano.


A hora do almoço é uma hora interessante. É a única hora onde se pode parar para observar o comportamento pessoal das pessoas em âmbito profissional. Uma das coisas que observo é que ao passo que muitos fazem desta hora como se fosse sua hora da recompensa, quase que um mini ou pré-happy hour. Isso significa bons restaurantes, pratos finos com direito a bebida e – dado o dia certo (sexta-feira) – até uma cerveja de extravagância. Boa, né?

Significa também que o dinheiro vai embora despercebido, diluido em refeições água abaixo que não trazem nada de especial, custam muito mais do que o justo pelo valor nutricional, demoram muito mais tempo do que o necessário para uma refeição e que te roubam do tempo que você poderia aproveitar para estudar ou refletir sobre o seu próprio enriquecimento.

Oops.

Continuar lendo “Confrontando o cotidiano #3 – “Ninguém nunca ficou mais pobre por quinze reais.””