Educação Financeira #5 – o Dinheiro e a ilusão do valor

“Eu não invisto na bolsa porque não quero perder dinheiro quando o mercado cair.”

No caminho da educação financeiro, muitos mitos são destruídos e novos conceitos aprendidos. Alguns são simples e fáceis de serem absorvidos, mas outros são contra-intuitivos ao conhecimento financeiro e levam mais tempo para serem realmente compreendidos. Crenças financeiras, por exemplo as que “o dinheiro é a raíz de todos os males,” ou que “o dinheiro corrompe as pessoas,” são parte de nossa educação desde pequenos e levam tempo para serem desfeitas. Igualmente, compreender que o ato de investir para independência financeira não tem um prazo estipulado também não é rapidamente aceitável em nossa sociedade imediatista.

Um conceito que inicialmente foi difícil de compreender, mas a cada dia que passa se torna mais verdadeiro é o seguinte: o dinheiro é mais ilusão do que real. Li sobre este conceito pela primeira vez no livro Pai Rico, Pai Pobre do Robert Kiyosaki, onde ele menciona que uma das diferenças entre os ricos e os pobres é que Os ricos sabem que o dinheiro é uma ilusão.

No livro, Kiyosaki usa como exemplo deste conceito o fato que ele conseguiu comprar e vender um imóvel por um grande lucro usando apenas um empréstimo bancário e seus contatos de negócios, nunca vendo o dinheiro em si durante a transação, mas eu acredito que o conceito é vai além disso. Enxergar o dinheiro não como dinheiro em si, mas como uma forma de obter liberdade, por exemplo, é uma forma poderosíssima de treinar a sua mente para enriquecer e obter segurança e independência financeira.

Além disso, nossa percepção de risco, valor e utilidade do dinheiro é um diferencial enorme na hora de saber utilizá-lo ou se preparar contra as oscilações da bolsa e outras coisas situações adversas na sua vida.

Como ver o dinheiro como uma ilusão pode te ajudar a investir melhor?

Continuar lendo “Educação Financeira #5 – o Dinheiro e a ilusão do valor”

A importância do Mindset da Abundância para o enriquecimento

Recentemente, assisti o filme The Founder, que narra a história do lançamento do McDonald’s como a maior franquia de fast food do mundo através da intervenção de Ray Kroc, que apadrinhou o restaurante e se autoentitulou “fundador.” O filme passa uma mensagem que talvez seja polêmica para alguns (foi necessário ganância para decolar o negócio, os sócios originais foram traídos, etc), mas ainda assim recomendaria a aqueles que visam abrir um negócio próprio para buscarem inspiração.

Este post, porém, não é uma resenha, e por isso quero focar em outro assunto mais importante, abordado pelo filme durante algumas cenas: o mindset de abundância, e como isso é crucial para o enriquecimento individual.

Continuar lendo “A importância do Mindset da Abundância para o enriquecimento”