Você não precisa ser especial em tudo para vencer

“Três meses atrás, eu estava pobre e endividado. Hoje, tenho mais de um milhão de dólares e renda passiva constante graças a meus negócios online que desenvolvi com esta técnica especial, que vou compartilhar com você neste curso exclusivo!” – Algum influencer no YouTube.

Bilionários, campeões mundiais, recordistas olímpicos, experts do assunto, superlativos, número 1 de alguma coisa. Você já ouviu falar nestas pessoas ou, se procura se desenvolver com frequência, provavelmente pesquisa suas histórias regularmente. E enquanto elas podem ser um tanto inspiradoras para espelharmos nossos objetivos, se dependermos apenas desta parte da literatura para nos mentorar, acabaremos com expectativas surrealmente altas sobre o que é necessário para ter sucesso – o que é uma receita fácil para a decepção.

Ao passo que para alcançar o sucesso é necessário, sim, estar fora do conceito da média, há um desentendimento que surge quanto ao requerimentos de fato que compõem o sucesso. Tais desentendimentos são aumentados ainda mais por conta da nossa exposição constante às tais “histórias de sucesso” e outras imagens expostas de casos extraordinários de sucesso que são passadas como a única forma de suceder na vida.

Em primeiro lugar, as histórias destes superlativos são exceções dentre as exceções, e sua existência ao longo de diversas outras não tão destacadas significa que não são a única forma de se “ganhar o jogo.” Outro desentendimento é sobre o que significa ter sucesso em si. E é importante frisar o lugar destes superlativos no conceito de sucesso, pois do contrário, estaremos caindo num outro jogo nada relacionado ao nosso próprio planejamento: o do marketing.

Continuar lendo “Você não precisa ser especial em tudo para vencer”

Sobra cognitiva e a quarentena

A quarentena global que o COVID-19 impôs à todos foi sem dúvida um efeito contra o qual quase não foi possível prever. Com milhões de pessoas confinadas às suas casas, e, subitamente com todo aquele tempo que a princípio nunca conseguiam reservar de volta às suas mãos, igualmente elas não estavam preparadas para o que aconteceria em seguida. Num ambiente estranho, um home office que cada vez mais “home” do que “office” perfeito para aumentar as distrações, e com vastas oportunidades para procrastinação facilitadas como a abertura dos canais de TV a cabo, disponibilização de programação de entretenimento gratuita, simplesmente não pudemos resistir a uma tendência natural do ser humano: a procrastinação.

Se você acha que esta tendência a procrastinar é algo moderno, fruto de um mundo repleto armadilhas de atenção – como cada um dos seus aplicativos no seu smartphone – porém, pense novamente. A verdade é que durante cada fase da evolução da sociedade humana como um todo, todas as vezes que alguma grande invenção ou descoberta é feita que libera mais tempo para as pessoas, a tendência à procrastinar imediatamente se instala. Um grande exemplo foi a crise do Gin de Londres no Século XIX, onde um país recém-transformado pela revolução industrial encontrou grande parte da população ociosa na maior parte do dia, sem mais precisar trabalhar horas por dia no arado para receber comida, por exemplo. Para “passar o tempo” antes impossível de ser obtido, as pessoas passaram a se intoxicar com álcool, especialmente o forte Gin da época.

Tendências como esta nos mostra um exemplo de sobra cognitiva, onde as pessoas recebem a oportunidade (seja em tempo, segurança ou realização fisiológica) de utilizar seu intelecto, mas acabam por disperdiçá-lo em prol do ócio ou outra atividade não-produtiva. Este termo foi criado pelo sociólogo americano Clay Shirky em seu livro Cognitive Surplus para descrever a tendência atual que, graças aos nossos dispositivos e entretenimento disponível 24 horas por dia, ignoramos nosso potencial cognitivo para “descansar a mente” com entretenimento e outros disperdícios mentais. E especialmente durante esta quarentena do COVID-19, pudemos ver a estensão que esta sobra cognitiva pode ter, começando na nossa própria rotina.

É importante observar a nossa própria sobra cognitiva como uma reflexão sobre o quanto estamos produzindo durante esta quarentena. E embora este tópico possa esbarrar na constante fala de produtividade, há um assunto mais profundo sobre o desenvolvimento pessoal que precisamos observar nestes casos: o nosso constante aprendizado.

Continuar lendo “Sobra cognitiva e a quarentena”

Como chegar ao TOP 5 de qualquer coisa?

Todos queremos alcançar o topo de alguma coisa na vida. Ser um dos melhores em alguma coisa é um requerimento fixo para qualquer forma de sucesso. Pertencer à média não lhe pagará o sucesso devido. Porém, a maioria das pessoas se desencoraja e prefere não seguir este caminho justamente por conta do trabalho necessário para atingir este desejado patamar.

A verdade, porém, é que atingir o sucesso não precisa ser uma coisa extremamente trabalhosa. Isso é porque o sucesso largamente depende da sua percepção e do grau de engajamento da sua competição. É difícil, por exemplo, se tornar o melhor jogador de futebol do mundo por conta da enorme competição, engajadíssima para tomar esta posição. Porém, obter sucesso em algum outro âmbito pessoal ou menos procurado pode ser surpreendentemente simples. A regra que existe aqui é simples: para atingir o TOP 5%, você precisa fazer mais que os outros 95%.

O segredo? Escolher qual o âmbito do TOP 5% que você deseja se tornar. TOP 5% de horas de TV assistidas? TOP 5% em horas de sono? TOP 5% de procrastinação? Ao tomar atitudes pequenas mas poderosas (como hábitos), você irá se afastar destes âmbitos danificantes, e se aproximará de outros mais construtivos. Que tal TOP 5% de salário economizado? TOP 5% de maiores aportes mensais? De horas exercitadas durante a semana? É na prática dos objetivos certos que você consegue atingir a excelência.

Veja neste episódio como você pode escolher e tornar o jogo ganhável para o seu lado.

Continuar lendo “Como chegar ao TOP 5 de qualquer coisa?”

O poder da Gratificação Atrasada para a sua vida financeira

Quando se trata de desenvolvimento pessoal e financeiro, temos algumas “super armas” que nos auxiliam para alcançarmos nossos objetivos. Uma das mais poderosas no seu arsenal é a gratificação atrasada.

De forma simples, através dela você aprende a recusar uma gratificação imediata em busca de uma recompensa maior a longo prazo. Alternativamente, é a forma de trocar uma gratificação danificante a curto prazo pelo bem maior a longo prazo.

Se você não está contente com a sua forma física atual, você poderia comer um chocolate e amenizar a dor temporariamente, sem benefícios ao longo prazo. Ou você poderia começar a se exercitar e, com o tempo, ver a sua forma melhorar.

A gratificação atrasada é poderosíssima quando utilizada como gatilho financeiro pois tem sinergia com os objetivos de longo prazo necessários para as finanças e investimentos. Utilizada da forma correta, ela pode se tornar uma grande aliada. Veja neste vídeo como.

Continuar lendo “O poder da Gratificação Atrasada para a sua vida financeira”

Como começar a usar o Linux plantou a semente do meu sucesso

Em 2010, estava voltando da faculdade para o meu quarto quando notei que meu computador estava agindo de forma estranha. A tela estava acizentada e nada que eu fizesse conseguia tirá-lo daquele estado. Tentei utilizar a solução prática e resetá-lo, mas ele nunca mais acordou. Tive que levá-lo ao suporte técnico do campus, e, como resultado, ficaria sem um computador por alguns dias.

Ficaria, pois eis que surge o meu amigo que cursava ciências da computação e me fez uma oferta que me transformou a vida.

Não tem problema, Pinguim, se você quiser, eu empresto o meu laptop secundário pra você. Mas ele roda Linux. Pode ser?

Escolhi o Linux mais por receio de não ter um computador por alguns dias, mas não pude deixar de pensar: não é aquela coisa de nerds e hackers de computador? Será que vou conseguir usar? Algumas semanas depois, o Linux se tornou o meu sistema operacional primário, e com ele, um valor importantíssimo se instalou na minha vida.

Na hora, não havia percebido isso como pertinente, mas hoje, olhando para trás, posso ver como foi importante realizar esta decisão na minha vida. E ao passo que várias melhorias – inclusive financeiras – surgiram em questão de começar a utilizar o Linux, marco um bom hábito em especial como a origem de tudo: o mindset do autodidata.

Continuar lendo “Como começar a usar o Linux plantou a semente do meu sucesso”

Como se manter produtivo durante a quarentena

Com o lockdown da quarentena se estendendo e as pessoas perdendo o horizonte de quando a crise do Coronavírus irá se amenizar, fica como um desafio manter o foco e a produtividade num ambiente que consideramos tanto ser o nosso lar e centro de relaxo e espaço pessoal.

Podemos falar o quanto quisermos que temos objetivos traçados a longo termo, mindset de crescimento para sempre querer aprender mais e que nossa disciplina destrói qualquer preguiça. A verdade é que por não estarmos num ambiente propenso à produtividade (como um escritório), poucos de nós conseguimos manter o mesmo nível de foco e atenção estando na familiaridade do ambiente de casa, e junto com os nossos familiares a quem queremos sempre dar atenção.

Assim, compartilho neste post algumas das técnicas que tenho utilizado para tentar manter a produtividade num mundo onde o Home Office a cada dia parece mais ser pseudo-férias, e a procrastinação tende a apenas aumentar.

Continuar lendo “Como se manter produtivo durante a quarentena”
podcast do pinguim

Podcast do Pinguim – Resolvendo a curto e longo prazo

A vida consiste em resolver problemas. Embora não seja possível escapar deste fardo, pelo lado bom isto nos provém a chance de obter realização pessoal todos os dias através do trabalho.

Enquanto não podemos controlar a quantidade e a incidência destes problemas sobre nossas vidas, ainda assim temos uma variável que você pode escolher: você resolverá o problema a curto ou longo prazo?

Muitas das soluções a curto prazo são relativamente fáceis de obter e rápidas, mas possuem uma limitação comum: não atacam a causa do problema. Tomar aspirina para dor de cabeça, comer chocolate ou beber cerveja depois de uma frustração, todas estas “soluções” aliviam os sintomas e nos trazem conforto a curto prazo, mas quão rápido resolvem, lá estão os problemas novamente.

Em contraste, as soluções ao longo prazo são permanentes e efetivas, mas requerem muito mais trabalho em antemão para acontecer. Manter uma mente sã e um corpo saudável se exercitando regularmente, cultivar relações diariamente para ter um bom ambiente de trabalho, todas estas soluções definitivas requerem trabalho. São estas as soluções que você precisa obter mais para se desenvolver pessoalmente.

Veja neste episódio como procurar cada uma destas soluções afeta a sua vida e as suas finanças.

Continuar lendo “Podcast do Pinguim – Resolvendo a curto e longo prazo”
podcast do pinguim

Podcast do Pinguim: o hábito que revolucionou a minha vida

Até 2012, eu não estudava nada além do absoluto necessário, não me interessava em aprender nada a mais do que me era requerido, e os meus usos principais do meu computador e celular eram entretenimento e conectividade.

De repente, num certo dia em Agosto de 2012, todos estes maus hábitos foram ejetados da minha vida, e comecei a aprender coisas úteis à minha vida e desenvolver habilidades essenciais para melhorar a minha qualidade de vida. Aconteceu uma espiral de mudança cuja origem pode ser traçada a um único hábito – qual?

Leitura.

Este foi o hábito que, por si sozinho, despertou o meu desejo por melhorar a minha condição de vida todos os dias, e sempre buscar mais conhecimento. Se eu precisasse apontar um único hábito que mais causou impacto na minha vida, seria a leitura.

Porém, não é só do ato de ler que a minha vida se desenvolveu. De fato, poderia dizer que ler foi responsável apenas uns 10% de toda a transformação. De onde vieram os outros 90%? Acompanhe neste episódio.

Continuar lendo “Podcast do Pinguim: o hábito que revolucionou a minha vida”

Sobre o Adultear

Sem dúvida um dos maiores desafios da vida é se preparar para a vida adulta. Tenho certeza que você também passou por tempos turbulentos durante a fase dos 18 aos 20 anos de idade, quando a escola estava para se acabar e as escolhas da vida adulta começaram a aparecer na sua frente, demandando ação direta: qual vestibular vai prestar? Qual faculdade você vai? Quando vai tirar a carteira de motorista? Qual carreira vai seguir no emprego?

Até então a sua vida era sempre o mesmo esquema: ir à escola, fazer o dever de casa, passar nas provas e talvez fazer os cursos extracurriculares à tarde. Todas as demais decisões eram gerenciadas por outras pessoas na sua vida, como pais, professores e diretores de escola. De repente, quando os 18 anos chegaram, você se tornou o único responsável, o piloto da sua própria vida. E você deve assumir o controle rápido porque as decisões estão só aumentando.

Entre mortos e feridos, todos nós sobrevivemos este período conturbado. Embora alguns olhem para este período com arrependimento, temos que nos lembrar que foram estas mesmas escolhas que trouxeram todas as nossas vitórias até agora. Elas são um motivo para nos orgulharmos. Porém, há de se dizer que poderia ter sido melhor. A falta de disseminação de conhecimento financeiro é um grande cúlprito entre a desinformação generalizada do período.

Nós podemos fazer da fase de “adultear” uma fase melhor para as próximas gerações, e neste post explico como isso pode ser possível se focarmos em ensinar conceitos mais práticos e sólidos. Talvez algumas das opiniões aqui soem um pouco controversas ou extremas, mas o importante é considerá-las – não necessariamente seguí-las. Se você possui filhos, este post pode lhe ajudar na hora de ver os ensinamentos que os passará quando a época chegar.

Continuar lendo “Sobre o Adultear”

Um hábito que mudou a minha perspectiva de vida

Imagine um hábito que poderá revolucionar a forma que você aprende coisas novas na vida, despertar a sua curiosidade, melhorar o seu humor, te motivar a sempre se desenvolver mais e que tem um custo bem baixo.

Meditação? Terapia? Focus Groups? Mentores no ambiente de trabalho? Nada. Estou me referindo ao hábito da leitura.

Se eu tivesse que me referir a um único hábito que mais conseguiu transformar a minha vida, sem dúvida alguma este seria a leitura. Olhando para trás, posso identificar na leitura a minha razão para ter me desenvolvido pessoalmente, enriquecido, e ter instituído para sempre uma mentalidade de crescimento constante. E tudo isso numa época em que eu acreditava ser impossível avançar na vida, e até quando eu nunca havia lido um livro voluntariamente.

Se você já estudou sobre os milionários e os casos de sucesso do mundo, provavelmente já notou que eles também foram pessoas que leram muito no decorrer de suas vidas, com alguns exemplos mais destacados como Bill Gates, que lê um livro por semana, ou Warren Buffett, que lê 500 páginas de conteúdo financeiro diariamente. A correlação não é mera coincidência: o hábito de leitura, a capacidade de absorver conhecimento a mais do que a média é um dos fatores de sucesso.

Muitos são rápidos para dispensar a leitura como uma possível fonte de sucesso por ser aparentemente uma tarefa passiva, e que não é possível conseguir obter sucesso apenas capturando informação e conhecimento. Porém, esta opinião sobre a leitura é miópica, e falha ao compreender a parte mais poderosa do hábito de ler: a sinergia desenvolvida entre a leitura e o desenvolvimento pessoal.

Como simplesmente começar a ler conseguiu transformar a minha vida? Vejamos neste post.

Continuar lendo “Um hábito que mudou a minha perspectiva de vida”