Seguindo sem reservas: contra-exemplo do Mr Money Mustache

Quando falamos sobre educação financeira, podemos traçar uma pequena “grade” contendo todos os passos e aprendizados necessários para alguém se tornar financialmente alfabetizado e pronto para traçar sua rota até – finalmente – a independência financeira. Dependendo de onde você se encontra, financeiramente falando, alguns conceitos podem ser já bem simples, enquanto outros, novidades. Por exemplo, se você nunca se importou com dinheiro até agora, conhecer o seu dinheiro em detalhe pode ser uma grande surpresa, com muitas descobertas interessantes.

Entretanto, todas as boas práticas financeiras tendem a se converger a alguns pontos comuns, que se tornam conselhos financeiros gerais. Não acumule dívida, gaste menos o que você ganha, invista a diferença, etc. Imagine, então, a minha surpresa quando eu descobri que um dos “gurus” de finanças pessoais e mentor indireto de muitos na Finansfera – Mr Money Mustache – quebra uma das “regras” mais básicas: ele não possui reserva de emergência.

Sim, MMM afirmou em um dos seus vídeos que ele não possui uma parte do seu capital alocado numa reserva de emergência, indo contra a recomendação de segurança básica da finansfera inteira. Ele possui, como veremos, uma boa lógica por trás da sua decisão, e anos de experiência com este tipo de vida, mas ainda assim esta notícia é surpreendente, ainda mais vindo de um dos autores mais seguidos de finanças.

Como ele segue sem reservas financeiras no planejamento, e o que podemos aprender com este contra-exemplo?

Continuar lendo “Seguindo sem reservas: contra-exemplo do Mr Money Mustache”

Automatizando as partes boas: quais os benefícios de um piloto automático financeiro?

Um conceito que tenho frisado muito nos últimos posts do site é o dos hábitos, e como a influência deles e sua utilização com consciência é a melhor combinação para obter e manter sucesso financeiro a longo prazo sem que você se desgaste emocionalmente no processo.

Como uma demonstração prática deste conceito, assisti a um vídeo do YouTuber Ryan Scribner onde ele ensina sobre cinco coisas que você deve fazer assim que você é pago. São poucos aqueles que planejam seus meses com tamanha precisão, e a disciplina dele é comendável neste assunto; a estratégia de Scribner age como um framework para uma pessoa fazer as coisas financeiramente importantes antes que se caia na tentação de gastar este dinheiro em alguma outra coisa não-produtiva.

O vídeo é direto e reto, e consegue cobrir uma quantidade grande de recomendações para serem seguidas. Quais coisas podemos fazer após o pagamento para garantir que nossos interesses financeiros sejam protegidos?

Continuar lendo “Automatizando as partes boas: quais os benefícios de um piloto automático financeiro?”

Arrependimentos Financeiros e como evitá-los

Todos nós chegamos a errar várias vezes na vida, e sábios são aqueles que tomam estas oportunidades para aprender com os erros e melhorar a vida com base nisso. O resultado de um erro deve ser uma forma positiva de se ver a realidade, senão o progresso não aparece e assim não conseguimos seguir em frente.

Há uma diferença, porém entre ter errado e conseguir aprender para reverter a situação e ter errado para seguir o resto da vida carregando arrependimento nas costas. Isso é um sinal que você fez uma decisão que, na hora, parecia não custar muito, mas que acabou se tornando cara ao longo do tempo. Neste vídeo do gestor de fundos e autor do livro Rule #1 Investing Phil Town, estas decisões são chamadas de Financial Regrets (arrependimentos financeiros), e representam decisões com consequências pesadíssimas lá na frente.

Certamente é difícil dizer que nunca passamos por algum arrependimento assim na vida, e mais difícil ainda prever quais decisões poderão se tornar tais arrependimentos no futuro. Aqui vamos explorar algumas delas que ele descreve.

Continuar lendo “Arrependimentos Financeiros e como evitá-los”

Segurança Digital #1 – Como Investir na sua Segurança Digital

Tenho notado que a maioria dos meus posts aqui no Pinguim Investidor têm sido sobre Investimentos, mas têm faltado “pinguim” por aqui. Por isso, hoje vou fazer uma pequena mudança e falar um pouco mais sobre o alguns aspectos da TI que também podem fazer diferença na sua vida financeira. Esta série irá abrangir a sua segurança digital.


Quanto vale a sua segurança digital?

Poucos param pra pensar sobre este assunto com a correria do dia-a-dia, ou não pensam que vale a pena aprender sobre isso por achar que é um assunto complexo, difícil, ou reservado para especialistas e hackers e “terceirizado” da sua vida. A verdade não poderia ser mais longe do que essa expectativa.

Segurança digital (pelo menos num âmbito pessoal) não precisa ser difícil, complicada, e nem cara. Hoje em dia, software está tão ágil e acessível que ataques e invasões pessoais se tornaram mais complicados, mas isso não é razão para relaxar e ignorar o assunto.
Mesmo que os nossos dispositivos pessoais se tornem mais seguros, nós também cada vez menos armazenamos dados neles e dependemos cada vez mais de serviços online para armazenar nossos arquivos e dados pessoais.

Terceirizar a segurança só funciona até um ponto, porque o elo mais fraco deste sistema geralmente é justamente o usuário – você mesmo. Assim, vou descrever neste post algumas medidas simples e rápidas que você pode tomar para tornar a sua vida digital mais segura e tranquila sem precisar ser tornar um expert no assunto.

Continuar lendo “Segurança Digital #1 – Como Investir na sua Segurança Digital”