O melhor jogo é aquele que você ganha – a importância da autossuficiência

Um dos fatos menos conhecidos da vida, profissional ou pessoal, é que você tem mais escolha sobre as batalhas e partidas que você disputa do que você imagina. E como todo bom jogo, é melhor escolher aqueles que você sabe que irá ganhar.

Nas finanças não poderia ser diferente – enriquecer pode ter vários significados, mas aquele que você atrela mais valor é o que você deve escolher como objetivo. Será que 1 milhão dá? Talvez 5? Talvez menos de 1 milhão com as condições corretas? A resposta dependerá do seu conceito de suficiência e planejamento, mas felizmente existem maneiras que você pode definir este objetivo, uma das clássicas sendo a boa e velha regra dos 4%.

É importante, porém, saber que existe um objetivo definido, onde você tem uma idéia pré-concebida de como isto é. A falta deste objetivo lhe deixa vulnerável à sugestões e ganância alheia, perpetuada principalmente por conta de agências de marketing, que com muito prazer irão mostrar a você outros objetivos que os favorecem mais do a você mesmo. Novamente, saber definir sua autossuficiência e objetivos financeiros é mais importante do que vocẽ imagina.

Neste episódio, mostro algumas formas como.

Continuar lendo “O melhor jogo é aquele que você ganha – a importância da autossuficiência”

Como eu investiria meus primeiros 1000 reais?

Para alguém que se preparou financeiramente, fez seu dever de casa, juntou uma reserva de emergência e conseguiu identificar possíveis formas de investimento, o próximo passo é colocar a mão na massa e finalmente começar a investir.

Investir “na prática” não apenas é a única forma de se ganhar experiência com o mercado, as plataformas e suas interfaces de operação mas também o melhor jeito de perder aquele medo que as pessoas sentem quando ouvem sobre o conceito de investimentos na bolsa. Entretanto, nesta hora uma grande pergunta segura muitos: investir no quê?

Embora a resposta sempre deve ser de decisão pessoal e menos influenciada possível, alguns produtos tendem a ser menos arriscados e mais fáceis de compreender do que outros, e servem bem como uma porta de entrada para experiências no mundo dos investimentos.

Neste vídeo, explico o que eu faria se tivesse meus primeiros 1000 reais para investir.

Continuar lendo “Como eu investiria meus primeiros 1000 reais?”

Cinco formas de investimentos indiretos para acelerar a sua vida financeira

Embora muitos, incluindo eu, tendem a seguir uma definição bem rígida sobre o que significa um investimento, existem casos onde uma pessoa pode se beneficiar em colocar seu dinheiro num produto além dos produtos clássicos como renda fixa, ações, fundos imobiliários ou tesouro direto.

Os chamados de “investimentos indiretos,” ou “aceleradores de riqueza” por outros, são formas de você utilizar o seu dinheiro para resolver ou acentuar determinadas características específicas da sua situação financeira de uma forma que o dinheiro lá investido lhe trará retornos indiretos maiores do que investindo de uma forma tradicional.

Será que pode se beneficiar destes investimentos indiretos também? Descubra neste episódio.

Continuar lendo “Cinco formas de investimentos indiretos para acelerar a sua vida financeira”

Três lições aprendidas do livro “O milionário mora ao lado”

Os livros do autor e pesquisador americano Thomas J Stanley sobre milionários nos Estados Unidos se tornaram clássicos da bibliografia FIRE mundial. Lançado em 1996, o livro O Milionário Mora ao Lado se tornou um best-seller do New York Times daquele ano, mas são poucos os que conheceram a sua sequência A Mente Milionária publicada em 2001.

Não há dúvida que o conteúdo deles e sua pesquisa foram valiosíssimas para finanças pessoais no mundo todo, começando pela sua desmistificação sobre o que é necessário para se tornar um milionário nos Estados Unidos: não é nascença, sorte, nem afiliação política, e sim uma questão simples de acumulação de patrimônio.

Dentre as inúmeras lições de Stanley publicada nesta série, três conceitos em particular são importantes para mim, e merecem um grande destaque para qualquer um que almeja enriquecer ou alcançar a independência financeira em sua vida. Neste episódio, exploro tais conceitos e os livros a fundo.

Continuar lendo “Três lições aprendidas do livro “O milionário mora ao lado””

Como a Frugalidade traz mais Abundância na sua vida

Quando se trata de juntar dinheiro e enriquecer, a frugalidade é um fator essencial, um requerimento quase que mandatório no processo inteiro. Infelizmente, muitos ainda tendem a associar esta palavra a um conceito negativo, como um sinônimo de pão-duro, mão de vaca, e de alguém que não aproveita a vida.

Nada, porém, poderia ser mais longe da verdade. A frugalidade é o exato oposto de uma fraqueza, e sim o autocontrole e a capacidade de colocar a sua racionalidade à frente dos desejos e enxergar os objetivos sob uma lente de longo prazo. E o melhor: os benefícios da frugalidade se estendem além do âmbito financeiro, e podem contribuir (e muito!) para o seu bem estar geral também. Veja como neste vídeo.

Continuar lendo “Como a Frugalidade traz mais Abundância na sua vida”

Qual é o papel do hedging nos investimentos? Você deve se preocupar com isso?

Durante tempos de crise e oscilações negativas da bolsa, fala-se muito no termo hedging, e como os grandes investidores e gestores de fundos o utilizam para “proteger” seus patrimônios. Na sua simplicidade, um hedging nada mais é do que algum ativo que se valoriza com a desvalorização de outro da carteira, tornando assim um contrapeso na carteira de investimentos.

Na prática, porém, acredito que não vale a pena fazer hedging na carteira do pequeno investidor individual (i.e. menos de alguns milhões de patrimônio), pois os resultados são mínimos (pouca alavancagem), e o foco é diferente – o pequeno investidor busca acumular patrimônio, o grande proteger seu patrimônio.

Neste vídeo, explico como o hedging funciona e qual é, na minha opinião, a alternativa melhor a ele que o pequeno investidor deveria seguir.

Continuar lendo “Qual é o papel do hedging nos investimentos? Você deve se preocupar com isso?”

Carro próprio é o pior investimento que você pode fazer

Se eu tivesse que nomear o infâme pódio dos piores investimentos do mundo, rankeado em primeiro lugar não estaria o COE, os produtos bancários, e nem mesmo a poupança. Quem levaria o troféu – de lavada – seria o bom e velho carro próprio, que tantos insistem em chamar de “investimento” embora zilhões de motivos indicando o contrário.

Não há dúvida que o carro é uma ótima invenção, conveniente para alguns e crucial para outros, e para determinadas famílias ou pessoas morando em lugares remotos, pode ser um bem necessário. Mas nada disso muda o fato que ele é um passivo financeiro, e nunca irá trazer mais dinheiro para você do que ele lhe custa.

Quer um investimento de verdade? Compre ativos.

Aprenda mais sobre isso neste episódio.

Continuar lendo “Carro próprio é o pior investimento que você pode fazer”

A armadilha da classe média

Sonho de muitos cidadãos no país, durante muito tempo a classe média foi e continua sendo vista como um padrão ideal de vida equilibrando prosperidade e humildade. Com um pouco de educação financeira aplicada, porém, conseguimos descobrir que ela não passa de uma armadilha bem disfarçada que impede que você enriqueça e se torne próspero de verdade.

Ter a classe média como um objetivo e fazer as coisas que são consideradas de classe média hoje simplesmente irá impedir que você acumule seu patrimônio e enriqueça – e deixe de alcançar a verdadeira prosperidade e riqueza que é mais do que seu direito. Graças à propaganda alheia, porém, esta verdade se encontra casualmente disfarçada, tornando ser classe média (e não enriquecer) um padrão aceitável.

Veja mais sobre por que isso acontece neste vídeo.

Continuar lendo “A armadilha da classe média”

Como a procura da felicidade difere do prazer

Quando se trata do bem-estar, talvez nenhum termo seja tão onipresente quanto a boa e velha procura da felicidade. Vemos este tema em diversos assuntos e anedotas do nosso cotidiano e nas obras de arte, onde venera-se a felicidade acima de tudo.

Quando a felicidade é confundida com prazer, porém, portas perigosas se abrem, alimentadas pela tendência natural humana à adaptação hedônica. É por esta razão, por exemplo, que as coisas novas e bonitas eventualmente se tornam chatas e batidas, assim como relacionamentos, comidas, e praticamente qualquer outra coisa na vida.

Se você quer felicidade duradoura a longo prazo na sua vida, portanto, deverá aprender a controlar esta adaptação hedônica e trocar a busca do prazer pela felicidade através de meios como o estoicismo. Veja mais sobre isso neste vídeo.

Continuar lendo “Como a procura da felicidade difere do prazer”

Nunca pense no curto prazo ao investir!

Quando investimos, compramos ativos que nos trarão dividendos e proventos regularmente para nós até o fim de nossas vidas. Desta forma, não há por que especular sobre prazo quando se trata de investimentos – isso simplesmente não faz sentido. Datas encontradas em produtos de renda fixa trazem uma ilusão de prazo através de um “vencimento” que pode nos levar a crer que existe como investir a curto prazo, mas isto não faz sentido quando pensamos na independência financeira e como nossos investimentos nos suportarão. Há uma razão pela qual investimentos em ações ou fundos imobiliários não possuem “vencimento.”

Se você precisa de dinheiro a curto prazo, você não vai investir, você vai poupar, e vai fazer isso o mais rápido possível. Ao investir, você abre uma fonte de renda extra que deve lhe suprir pelo resto da sua vida. Seu prazo de investir deve ser: “para sempre.

Continuar lendo “Nunca pense no curto prazo ao investir!”