Bounty hunters: mais uma ótima razão para manter suas finanças em dia

Você está em casa numa sexta-feira à noite, assistindo TV e relaxando com uma cerveja gelada depois de uma semana difícil e estressante no trabalho. Sua família está também relaxando e aproveitando a noite, aproveitando a folga do dia seguinte para ficar acordados até mais tarde. Tudo perfeitamente tranquilo para começar bem o fim de semana.

Eis que num brusco barulho, a porta da sua casa é arrombada do alicerce e uma equipe de cinco homens trajando uniformes camuflados, completos com máscaras de gás, coletes e escudos balísticos invadem a sala, berrando para todos deitarem no chão. Eles carregam fuzis, tasers, granadas de fumaça e algemas, e não têm tempo para perguntas. Incapaz de reagir, você e sua família obedecem às ordens, sem ter qualquer idéia sobre quem são tais pessoas ou a razão para este ocorrido.

Enquanto outros membros revistam as demais cômodas da casa, o suposto líder do esquadrão te algema enquando recita um ditado pré-memorizado assustador:

“Senhor Fulano, somos caçadores de recompensas autorizados pela XY delegacia da cidade a executar esta prisão. Você está sendo preso por não cumprir as ordens da corte de se apresentar para justificar a falta dos pagamentos do seu carro. A sua ausência no tribunal no dia do julgamento acarretou nesta ordem de prisão.”

Então é isso. Você tem dívidas com o carro e não pôde honrá-las. É por isso que você está sendo arrastado para fora da sua casa em algemas. Sem tempo para poder protestar ou justificar, você é trancado no porta-malas do utilitário preto parado atravessado na rua e levado a caminho da delegacia. “Da próxima vez,” acrescenta o líder acendendo um cigarro, “não compre aquilo que não consegue pagar.”


Enquanto esta cena poderia ser abertura de um filme de ação ou parte do próximo livro de ficção do Pinguim A-Team: Esquadrão Antártica, surpreendentemente, não é. Trata-se de simplesmente mais um dia no trabalho de um Bounty Hunter nos Estados Unidos, cuja missão é apreender aqueles que devem dinheiro ou retomar a propriedade de quem não honrou com seus pagamentos.

Embora esta realidade com indivíduos armados seja pouco provável no Brasil (talvez exceto por agiotas), ela revela um aspecto perigoso das dívidas, e apresenta mais uma razão pela qual um bom planejamento financeiro é crucial para uma vida tranquila e próspera: a sua liberdade literal pode depender disso.

Vejamos mais neste post.

Vigilantismo, ativismo, ou manifestação da realidade?

É compreensível o choque de algumas pessoas ao ouvir uma história como essa ao se perceber que quando a dívida não é sanada, as pessoas perdem suas possessões. Afinal, este é o impacto da dívida e do ato de dever.

O que pode ser um choque maior, porém, é o fato que nos Estados Unidos, civis comuns podem receber poderes de polícia para prender e apreender simplesmente através de uma licenciatura literalmente como caçadores de recompensa.

Boba Fett and Samus Aran side by side
Tá bem que você não pensou em pelo menos um destes ao ler a frase anterior…

E caçadores eles são mesmo, pois sua subsistência depende deles analisarem as listas de procurados pela polícia, planejar uma emboscada e apreendê-los tal como numa caçada. E para quem duvida que isto é um trabalho sério e legítimo nos EUA, existem vários vídeos no YouTube que comprovam – inclusive em primeira pessoa – como funciona o trabalho destas pessoas, além de institutos e “academias” que se especializam em formar “recuperadores de fugitivos.”

Aparentemente, nos Estados Unidos o Estado não apenas aprova este tipo de trabalho, mas também encoraja estas pessoas a realizá-los, pois é uma forma de aliviar a polícia para cobrir trabalho mais sério e perigoso para o qual está mais preparada. Olhando desta forma, não parece muito diferente do que alguns países já chegaram a instituir, como nas Filipinas, onde Duterte oferece uma recompensa de US$500 por traficante de Drogas morto. Ainda assim, o pensamento que uma pessoa comum pode te prender de supetão é bizarro, beirando o totalitarismo dos anos 30.

Para você ter uma idéia de como eles trabalham, seguem alguns exemplos destes bounty hunters em ação.

Aviso: estes vídeos são extremamente longos, e podem conter cenas de violência.

Neste vídeo, vemos um caçador de recompensa chamado Patty Mayo prendendo um devedor que não compareceu ao tribunal. A precisão com a qual Mayo opera, cercando as saídas, invadindo a propriedade e terminando com a prisão do devedor lembra uma operação da polícia.

Neste outro vídeo ainda mais bizarro, outro Bounty Hunter que se identifica apenas pelo seu apelido “Dee” apreende o carro de uma pessoa inocente porque ela foi fiadora para outra pessoa que não pôde honrar seus pagamentos, resultando no tribunal aceitando o carro quitado como “forma de pagamento.”

Sim, uma pessoa inocente pagando pelo erro dos outros.

Embora no primeiro caso ainda existe uma justificativa legal sobre o caso, já que a pessoa faltou com o dever no tribunal, é difícil concordar com o segundo, onde a pessoa não havia cometido nenhum crime e mesmo assim sofreu as consequências – ou ela entregava o carro, ou o conhecido caloteiro. Este é o lado feio que o ato de dever dinheiro possui nos Estados Unidos: você pode vir a ser forçado a pagar com a sua própria liberdade.

Se você não tem dinheiro, não pode comprar

Tal como qualquer outra coisa que aprendemos na vida, educação financeira é melhor quando não a tornamos complicada. Se simplesmente focarmos nossos esforços nos seguintes três conceitos básicos, por exemplo, já teremos a grande parte dos nossos requerimentos financeiros cobertos:

  1. Ganhar dinheiro de maneira previsível
  2. Economizar dinheiro consistentemente
  3. Investir as economias com assiduidade

Conforme o princípio de Paretto, são estes simples passos que garantem a maior parte parte do retorno financeiro, especialmente no início da jornada, e não escolhas de detalhes da sua estratégia de investimento.

E o ponto #2 ilustra bem a necessidade de estar livre de dívidas para ter o bem estar financeiro: é preciso estar com a cabeça fora d’água para conseguir respirar.

É um conceito óbvio, e uma sabedoria milenar: “se você não tem dinheiro, não pode comprar.” Hoje, infelizmente, foi amaciado e mascarado pelas formas fáceis de crédito e financiamento, alimentando a ilusão do “aparentar” – e não “ser” – rico. Qualquer um pode entrar numa loja com um cartão de crédito e sair com um iPhone na mão. Mantê-lo, porém, é outra história.

Enquanto você possui uma dívida ou financiamento sobre algo, não pode afirmar com 100% de certeza que você a possui. E se você está em dúvida, é fácil testar esta proposição: experimente parar de pagar pelo financiamento da casa por uns meses, veja quem realmente é o dono nessa hora.

Estou brincando, não faça isso. Estude e mantenha bons hábitos financeiros para nunca precisar passar por uma situação desta.


O que você acha de um livro de ação do Pinguim Investidor ensinando finanças com entretenimento? O que acha do trabalho dos bounty hunters – serviço crucial para sociedade ou uma bizarrice de um apocalipse mercenário? Achou que os vídeos são fake, armados apenas para ganhar visualizações? Escreva nos comentários!

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s