Qual é o melhor investimento que você pode fazer hoje?

Estou começando agora, qual é o melhor investimento que posso fazer?
Tenho X anos. Qual é o melhor produto que posso investir?
Qual é o melhor investimento para XYZ?

Perguntas como estas frequentemente aparecem nos fóruns de iniciantes nos investimentos e são sintomas de que a verdadeira natureza dos investimentos não é compreendida. Não culpo as pessoas que as fazem; quando iniciei na minha própria educação financeira também queria saber quais eram os investimentos mágicos que me trariam riqueza da forma mais eficiente possível. O que estas perguntas transparecem, porém, é uma incompreensão sobre como cada classe de investimento consegue ajudar cada um em seu estágio de desenvolvimento financeiro.

Como uma metáfora, um copo d’água pode ter valores e utilidades diferentes dependendo para quem ele é oferecido. Uma pessoa num bar bebendo com os amigos pode zombá-lo e rejeitá-lo como inútil num ambiente onde há tantas outras bebidas mais saborosas e interessantes para serem consumidas. Para uma pessoa naufragada ou perdida num deserto há alguns dias, porém, este mesmo copo d’água se torna extremamente atraente e útil. Na sua vida financeira, a mesma coisa acontece, e diferentes classes de investimentos lhe servirão benefícios variados dependendo da sua situação e evolução financeira.

Como consequência, existem coisas diferentes que podemos considerar como investimentos, com retornos diretos e indiretos variados sobre o seu tempo e dinheiro investidos. Vamos explorar mais sobre como cada um deles se encaixa melhor em cada estágio da sua evolução financeira neste post.

Estágios da vida financeira

O ser humano é naturalmente atraído por histórias, e felizmente podemos traçar a jornada financeira como uma narrativa similar aos contos de crianças. A evolução financeira possui início, meio e fim, com a independência financeira geralmente sendo considerada o “final feliz” da história.

Todos iniciamos na evolução financeira de diferentes lugares e situações de background, mas um fator é comum: até aquele ponto, nunca tínhamos aprendido nada sobre finanças pessoais. Este marco do “despertar financeiro” pode ser utilizado como um ponto de partida comum, mesmo que as situações financeiras possam ser bem diferentes umas das outras.

Geralmente, o primeiro passo a ser realizado é justamente ter uma conversa íntima e conhecer bem o seu dinheiro naquele momento. Você possui alguma dívida? Onde o seu dinheiro está guardado? Quanto você possui? Quanto consegue guardar? Tais perguntas farão a anamnese financeira para descobrir de onde exatamente você está partindo.

Feito o diagnóstico, seguimos com o “meio” da história, obtendo conhecimento financeiro e procurando o melhor caminho para seguir em frente, acumulando patrimônio, riqueza e formando uma base sólida para construir a independência financeira no futuro. Este ponto é a longa batalha na qual a maioria da finansfera se encontra, relatando seus aportes mensais, novos investimentos e proventos recebidos. Como o seu patrimônio está evoluindo? Seus objetivos mudaram com a sua maturidade financeira? Estas são algumas das perguntas realizadas nesta fase.

Eventualmente seu patrimônio acumulado se torna sólido e extenso o suficiente para que você consiga viver apenas dos seus proventos, e trabalhar se torna opcional. Neste ponto, para todos os propósitos práticos, você chegou no fim da jornada, e para onde quer que você vá a partir de agora, sua situação financeira já está resolvida. Perguntas pertinentes a esta fase incluem: o que você fará agora que um dos seus maiores objetivos de vida finalmente foi alcançado?

Cada uma destas fases possui os seus próprios “melhores investimentos,” e por esta razão é difícil receitar uma única solução para cada indivíduo. Vejamos como cada um deles pode se encaixar no decorrer da sua vida financeira.

Classes de investimentos

Neste ponto, devo um pequeno esclarecimento: anteriormente, havia postado sobre a minha própria definição da palavra “investimentos”, onde defino que qualquer investimento sério deve ser feito com intenção previdenciária, visando prover um fluxo de caixa para o investidor. Esta definição é correta na diferenciação entre poupar e investir, mas quando se tratam de investimentos pessoais, seu escopo precisa ser mais abrangente.

Explicarei algumas categorias de desenvolvimento pessoal e financeiro que contam como investimentos diretos ou indiretos dependendo da sua evolução financeira atual.

Educação ou especialização

Um investimento em conhecimento paga os melhores dividendos

Benjamin Franklin

Todos nós devemos investir em conhecimento e educação sempre, independente de em que fase estamos; é o conhecimento que nos permite sempre evoluir e melhorar a nossa situação. O que muda, porém, é como esta educação pode nos ajudar dependendo da nossa situação.

Quando acabamos de nos tornar adultos e responsáveis financeiros, a educação precisa nos complementar em saber como funciona este novo mundo dos adultos no qual acabamos de ser lançados. Educação financeira, em particular, é importante por conta da importância que o dinheiro tem uma vez que nos tornamos responáveis por nossas vidas. Aprender como funcionam os bancos, como planejar e seguir um orçamento pessoal, e qual é a real importância do dinheiro são bons pontos de partida.

Eventualmente, pode ser necessário investir em especialização como uma forma de aumentar sua renda. Faculdades e cursos especializantes são populares, mas você precisa se conscientizar que apenas estas credenciais podem não necessariamente se traduzir diretamente em renda maior. Se você almeja um cargo com qualificações mínimas específicas, porém, este pode ser o único jeito de alcançá-lo.

Podem haver alguns casos inclusive onde uma faculdade não possui relação com a renda recebida: compare, por exemplo, fazer faculdade de administração versus abrir um negócio e aprender com a própria experiência.

Investimento em educação financeira, pelo contrário, sempre irá prover retorno ao longo do tempo.

Quitação de dívidas

Para quem iniciou a jornada para a independência financeira já com dívidas acumuladas, quitar e eliminar todas as formas de dívidas e financiamento podem ser os melhores investimentos a ser feitos agora.

Isso é porque quase todas as dívidas possuem juros muito maiores do que os investimentos podem trazer, e tendem a acumular agressivamente se não resolvidas no menor prazo possível. E com a taxa Selic num momento baixíssimo, nenhum investimento seguro e previsível conseguirá compensar os juros sendo cobrados por uma dívida do banco ou cartão de crédito, por exemplo.

Financiamentos requerem um pouco mais de atenção, pois geralmente são feitos para grandes quantias que não podem ser pagas a curto prazo. Se você não possui uma quantia grande a ser quitada, a recomendação é finalizar o financiamento para se livrar do passivo, senão continue a pagá-lo em paralelo ao resto dos investimentos. Uma solução melhor? Não financie passivos em primeiro lugar.

Formação da reserva de emergência

Para a maior parte dos jovens que iniciaram frescos a jornada financeira, dívidas não são um problema, mas a falta de margem operacional pode ser. Se você acabou de descobrir os investimentos, dê um passo para trás e invista na sua reserva de emergência antes de começar a comprar outros ativos. A falta de segurança financeira não compensa começar a procurar rentabilidade.

Características da reserva de emergência são liquidez alta e segurança financeira, e para isso, não há nada errado com utilizar a poupança de um grande banco para armazená-la. Esta não é a ocasião para se obter rentabilidade, mas se você acha que o valor necessário é muito alto para apenas a poupança, pode dividí-la em camadas de emergência, com rentabilidade e liquidez variandas.

Instalação de fontes secundárias de renda

Se você já possui uma base financeira sólida (sem dívidas, com reservas) e sente que uma especialização não traria melhoria significante na sua fonte de renda primária, esta pode ser a hora de investir em fontes secundárias de renda – passivas ou não.

Com a facilidade e oportunidade trazidas pela internet, tornar-se um empreendedor (ou eupreendedor, até) online é uma realidade cada vez mais próxima para quase todos. Funções de monetização estão disponíveis em várias plataformas online, e basta começar a colocar o mindset do empreendedor na prática para lucrar com a internet.

No mundo offline, franquias e modelos de pequenos negócios podem ser primeiros passos para quem gostaria de começar a empreender sem muito risco, e obter bastante experiência durante a jornada para escalar o negócio ou abrir um outro posteriormente.

Mesmo que não sejam 100% passivas, estas novas fontes de renda poderão auxiliar a trazer mais receita e, mais importante, diminuir a sua dependência total no seu trabalho atual. Esta sensação de liberdade é revolucionária.

Ativos previdenciários e renda passiva

Finalmente, se todos os requerimentos anteriores estão satisfeitos na sua situação, o melhor investimento que você poderá fazer é em ativos que gerem um fluxo de caixa passivo para você.

Ações, Fundos Imobiliários, Imóveis, e até mesmo a Renda Fixa podem lhe trazer proventos de forma passiva que, se recebidos em quantidade suficiente, poderão lhe trazer a completa independência financeira na sua vida.

Este deve ser o seu objetivo mesmo se você adora o seu trabalho ou não concorde 100% com a filosofia FIRE, pois atingir independência financeira é uma questão de segurança, não conforto. É a garantia que o seu futuro estará tranquilo do ponto de vista financeiro, qualquer que seja a sua decisão.

Inúmeras possibilidades

Há muitos outros investimentos indiretos que poderíamos listar, mas cada um deles se encaixam nestes estágios da sua vida financeira. Como via de regra, considere sempre estes pontos para saber qual é a sua prioridade do momento:

  • Você possui alguma dívida que deve ser paga antes deste investimento?
  • Você já possui reservas suficientes que podem ser acionadas caso este investimento venha a falhar?
  • Você entende completamente como este investimento funciona, quais os riscos envolvidos e quais os retornos esperados?
  • Você possui margem financeira e fluxo de caixa suficiente para operar neste investimento caso ele não lhe traga retornos no curto prazo?

Respondendo a estas questões, você estará numa posição muito melhor para averiguar qual é o melhor investimento que poderá fazer neste momento.


Qual é o melhor investimento que você acha que pode ser feito na sua vida hoje? Você incluiria algum outro nesta lista deste post? Escreva nos comentários.

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

4 comentários sobre “Qual é o melhor investimento que você pode fazer hoje?

  1. Pingback: Podcast do Pinguim – É possível enriquecer apenas com a poupança? – Pinguim Investidor

  2. Pingback: Acabe com a sua miopia financeira antes que ela acabe com o seu patrimônio – Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s