Como declarar os FIIs no seu Imposto de Renda

Abril é definitivamente o Mês da Educação Financeira, e ano passado fiz a minha contribuição iniciando uma série de posts detalhando o básico da educação financeira aqui no Pinguim Investidor.

No decorrer daquele ano, muitas coisas mudaram na minha situação financeira, e tive um novo desafio na declaração do meu imposto de renda: Fundos de Investimentos Imobiliários. Com o meu desvirginamento na renda variável e começo de geração de renda passiva via FIIs, que detalhei a cada fechamento mensal, meu patrimônio financeiro se tornou mais complexo, e finalmente na virada do ano tive que finalmente declará-los no imposto de renda.

No início, eu tinha um pequeno receio de entrar na renda variável porque temia que a declaração se tornaria muito complicada, mas eventualmente percebi que era o contrário: o tornar complexo do meu patrimônio se tornou um sinal que a minha situação financeira estava evoluindo! Portanto, passei algumas semanas pesquisando e consultando com o meu contador, e ao final de tudo declarado, resolvi documentar o passo a passo aqui.

Acredito no conceito de que quem sabe, ensina, portanto novamente vim trazer mais educação financeira para mais um mês de Abril na sua vida.

Acompanhe mais neste post o passo a passo de como declarar seus FIIs – e provavelmente muito se aplica às ações também – no IRPF deste ano.

Antes de começar: não tema a complicação fiscal!

Se você já acompanha o meu blog há um tempo, não é nenhum segredo que eu tento evitar, ao máximo, a complicação operacional das coisas da minha vida. Porém, percebi que quando se trata de impostos e do patrimônio, a complicação a mais é bem-vinda. O racional por trás é simples: se a minha situação fiscal se tornou mais complexa, significa que eu estou acumulando capital de formas mais complexas, e assim estou evoluindo financeiramente.

Durante o ano passado, assistir alguns vídeos de como declarar os impostos da bolsa me deixavam um pouco apreensivo pois era uma coisa que eu nunca havia feito e não sabia o quão complicado poderia se tornar. Se você já sofreu desta paralisia mental de tentar averiguar todas as possibilidades antes de começar, pare e aperte o reset. Você não está adicionando complicação na sua vida financeira, e sim evoluindo financeiramente.

Sobre este ponto, gosto de lembrar de uma frase que escutei de um colega de trabalho que falava mais ou menos assim: o imposto de renda é o único imposto que você deve ter prazer em pagar – quanto mais ele aumenta, mais dinheiro você está ganhando!

Com esta preocupação fora do caminho, vamos ver como podemos declarar os Fundos Imobiliários no IRPF.

Declarando os FIIs no IRPF

A declaração dos FIIs precisa cobrir duas áreas de informes: os rendimentos e proventos recebidos dos FIIs e as operações de compra e venda executadas durante o ano-calendário. A primeira parte é mais simples, portanto vamos explicá-la primeiro.

Passo 1: obtenha o informe de rendimentos da sua corretora

Todo o dinheiro recebido dos FIIs atualmente não é taxado de imposto de renda, mas ainda é necessário declará-lo. Felizmente, este informe de rendimento é facilmente obtido através da sua corretora de investimentos. Geralmente já existe uma opção na página da corretora para gerar um relatório com o total de proventos recebidos num PDF – o que é também uma ótima oportunidade para rever o seu progresso financeiro no ano passado!

Há apenas um problema com este relatório: em vários casos, a administradora do fundo não é a verdadeira fonte pagadora, portanto não é correto colocá-la na declaração. Infelizmente, discriminar as fontes pagadoras não é da responsabilidade da corretora, portanto você deverá buscar esta informação você mesmo.

Passo 2: obtenha o CNPJ de todas as fontes pagadoras

Este passo é um pouco chato porque requer uma análise de cada um dos FIIs que compõe a sua carteira para descobrir sua real fonte pagadora. A maneira mais segura de se fazer isso é pegar toda a correspondência de informes de rendimentos que chegam na sua casa e verificar no campo da fonte pagadora o CNPJ da empresa.

Felizmente, alguns recursos na internet compilam o elo entre o ticker do FII e a fonte pagadora para todos os FIIs listados, e isso facilita bastante na hora de copiar e colar. Acredito que alguns grupos de Investidores de FIIs no Facebook oferecem estes relatórios. Ainda assim, é recomendado checar com a correspondência para não haver dúvida.

Passo 3: calcule o preço médio de todas as suas operações

Este foi o passo que mais me deu trabalho porque, francamente, não havia registrado nenhuma operação na bolsa formalmente no meu acompanhamento mensal. Simplesmente prefiro focar em outras métricas, como a renda passiva mensal e a taxa de aporte para averiguar meu progresso a longo prazo. Porém, na hora de declarar os FIIs, saber o preço médio das suas cotas é um requerimento formal, portanto você deve saber calculá-lo.

Felizmente, não há nenhum bicho de sete cabeças aqui, simplesmente um trabalho meio maçante. Você deve solicitar na sua corretora cada uma das suas notas de corretagem para conseguir ver um raio-x de todas as operações de compra e venda que realizou durante o ano. Com todas estas notas em mãos, a operação é uma simples média aritmética ponderada:

Preço médio = Soma (número de cotas * preço da cota) / Número final de cotas

Um script do Python fez este trabalho para mim, mas você também pode chegar no valor final com uma planilha no Excel. O seu patrimônio final será, conversamente, o preço médio multiplicado por seu número de cotas de cada FII.

A minha sugestão e lição aprendida aqui? Faça o preço médio dos seus ativos de bolsa todo mês. Isso lhe economizará um bom tempo no ano seguinte!

Disclaimer: não sou contador!

Estes foram os passos que segui para fazer a minha declaração anual dos FIIs que investi no ano passado, e, mesmo aos trancos e barrancos, consegui compreendê-los no final. Pode ser que eles lhe ajudem também se você é um investidor iniciante (acredito que os princípios se aplicam para ações também), e fico feliz se este foi o caso.

Porém, não sou contador profissional e não estou habilitado a providenciar consultoria em termos de contabilidade. No caso de dúvidas, você deve entrar em contato com um contador ou um profissional habilitado a prover este tipo de consultoria.

No meu caso, utilizei os serviços do Rodrigo Caúla, que me aconselhou e me ajudou a achar o caminho para a declaração de todos os meus ativos.

file:///tmp/caula.jpeg

Se você tem alguma dúvida, ou necessita de alguma ajuda em relação à declaração do IR deste ano, entre em contato com ele via WhatsApp.


E você, já declarou o seu imposto de renda este ano? Foi complicado? Aprendeu alguma coisa? Compartilhe comigo sua experiência nos comentários!

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor


Image by Steve Buissinne from Pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s