Um hábito que mudou a minha perspectiva de vida

Imagine um hábito que poderá revolucionar a forma que você aprende coisas novas na vida, despertar a sua curiosidade, melhorar o seu humor, te motivar a sempre se desenvolver mais e que tem um custo bem baixo.

Meditação? Terapia? Focus Groups? Mentores no ambiente de trabalho? Nada. Estou me referindo ao hábito da leitura.

Se eu tivesse que me referir a um único hábito que mais conseguiu transformar a minha vida, sem dúvida alguma este seria a leitura. Olhando para trás, posso identificar na leitura a minha razão para ter me desenvolvido pessoalmente, enriquecido, e ter instituído para sempre uma mentalidade de crescimento constante. E tudo isso numa época em que eu acreditava ser impossível avançar na vida, e até quando eu nunca havia lido um livro voluntariamente.

Se você já estudou sobre os milionários e os casos de sucesso do mundo, provavelmente já notou que eles também foram pessoas que leram muito no decorrer de suas vidas, com alguns exemplos mais destacados como Bill Gates, que lê um livro por semana, ou Warren Buffett, que lê 500 páginas de conteúdo financeiro diariamente. A correlação não é mera coincidência: o hábito de leitura, a capacidade de absorver conhecimento a mais do que a média é um dos fatores de sucesso.

Muitos são rápidos para dispensar a leitura como uma possível fonte de sucesso por ser aparentemente uma tarefa passiva, e que não é possível conseguir obter sucesso apenas capturando informação e conhecimento. Porém, esta opinião sobre a leitura é miópica, e falha ao compreender a parte mais poderosa do hábito de ler: a sinergia desenvolvida entre a leitura e o desenvolvimento pessoal.

Como simplesmente começar a ler conseguiu transformar a minha vida? Vejamos neste post.

Pinguim Investidor se torna um devorador de livros

Até 2012, eu nunca havia voluntariamente lido nenhum livro na vida. Excluindo os livros didáticos e leitura forçada na escola, ler nunca se passava pela minha cabeça. Aprendizado se resumia a coisas que conseguia ler na internet e guias práticos, e entretenimento eram jogos e filmes, nunca envolvendo leitura.

É difícil até para mim acreditar que deste ambiente de não-leitura eu consegui me transformar numa pessoa que lê ávidamente, e para quem a leitura se tornou tanto uma forma de aprendizado quanto entretenimento. Começando nesta época, a leitura se tornou a minha forma primária de obter conhecimento, e hoje é um hábito do qual não consigo abrir mão. O que mudou durante este ano?

Resumido a um acontecimento: a compra do meu primeiro livro. Em meados de 2012, estava interessado em aprender mais línguas de programação e resolvi comprar um livro sobre Python. Era a primeira vez que eu escolhia um livro e comprava, e alguma coisa sobre já ter investido o dinheiro na compra me colocou uma pressão psicológica como um dever em lê-lo até o fim. E, quando menos esperava, lá estava devorando o livro após algumas páginas. Alguma coisa sobre conseguir obter tanto conhecimento apenas seguindo as páginas da publicação realmente me inspirou. Havia finalmente ganhado um novo hobby, felizmente muito mais produtivo.

Com o passar do tempo, comecei a tomar mais interesse em outra mídia para leitura: os ebooks. O racional era atrativo: não precisava carregar um livro de 400 páginas na mochila, e se quisesse consultar alguma coisa não tinha o problema de não tê-lo ao meu alcance. Ao passo que comecei a ler via aplicativo de celular, esta não era a melhor experiência, pois haviam problemas como a luz forte durante o dia, e a bateria do dispositivo indo embora bem mais rápido.

Eventualmente, comprei meu Kindle na Black Friday de 2014 com um desconto que me totalizou R$250. Esta única compra sem dúvida se tornou um dos meus melhores investimentos indiretos da minha vida, pois alavancou o meu hábito de leitura. Agora, qualquer fila, espera, viagem e trânsito se tornara uma oportunidade para aprender. Os hábitos anteriores e destrutivos como de jogar joguinhos de celular ou surfar sem objetivo nas redes sociais deram lugar ao aprendizado constante, junto com uma boa dose de entretenimento.

Sim, meu bom e velho Kindle de seis anos já!

Porém, a leitura sozinha nunca foi a responsável pelo meu desenvolvimento e mudança de mindset. Foi preciso ter um elo de sinergia entre ela e o aprendizado.

A sinergia da leitura e o aprendizado

Um ditado antigo diz que se conhecimento fosse riqueza, os bibliotecários seriam milionários. Há um tom de verdade neste ditado por dois motivos: a maioria das pessoas não leem conteúdo de não-ficção, e das que leem, a maioria não dá prosseguimento através da prática do que aprende.

É a combinação – a sinergia – entre a leitura, coleta de conhecimento e a prática que transforma o aprendizado em verdadeiro desenvolvimento pessoal.

Quando as pessoas bem-sucedidas e milionárias fazem uso dos livros para enriquecerem, na verdade o livro é apenas o topo do iceberg; elas utilizam a informação e a motivação como combustível para procurarem mais conhecimento e tomar ações. O processo é parecido com o do descobrir de um Iceberg: a vontade de aprender, o aprendizado e os insights recebidos livros alimentam a vontade de colocar o aprendizado em prática.

Por exemplo, quando eu leio um livro, geralmente este é o workflow que sigo para obter conhecimento enquanto leio:

  1. Leio um capítulo, seção, trecho ou até mesmo parágrafo.
  2. Reflito sobre alguma informação nova que absorvi, se realmente entendo tudo o que li naquele trecho ou se poderia aprender algo a mais.
  3. Faço uma nota mental (ou mesmo em papel ou nas anotações do Kindle) de procurar mais sobre o assunto quando não entendo 100%.
  4. Sigo lendo (retornando ao passo 1)
  5. Procuro na Wikipedia ou Google sobre este assunto quando termino a minha seção de leitura.
  6. Penso em como posso colocar este conceito em prática na minha vida.

Geralmente este workflow se itera tão rapidamente que mal percebo, pois já se tornou rotina para mim. O importante é que sempre estou consciente deste ciclo de aprendizado, e, mais importante, que a chave para conseguir implementar este conhecimento na vida para trazer resultados é através da ação.

Iceberg do Conhecimento by Pinguim Investidor

Como começar a ler – e continuar com ação

Certa vez, li que “1 kg de ação vale 1000 kg de conhecimento,” e não posso deixar de concordar.

De nada adianta ficar na indulgência de conteúdo motivacional todos os dias se você nunca coloca em prática, e com a leitura é a mesma situação. Por isso, a minha recomendação quanto ao hábito da leitura é a seguinte:

Se você ainda não lê, recomendo altamente que você comece. É a forma mais eficiente, genuína e livre de distrações que encontrei para aprender e ganhar conhecimento. Vídeos no YouTube de “influenciadores” não irão trazer o mesmo nível de conteúdo filtrado e sem segundas intenções que você encontra nos livros. Você pode começar com um único livro, procurando o tópico que mais gostar (contando que seja não-ficção) e se desafiar: leia o livro inteiro de cabo a rabo, incluindo uma lacuna de pelo menos 30 minutos sem distrações para lê-lo todo dia.

Enquanto ler, faça pequenas notas físicas sobre as coisas que aprendeu ao ler cada capítulo ou seção do livro. Escreva num caderno ou post-it, ou se tiver mais experiência, na própria mente. Ao terminar a sua sessão de leitura, aprofunde-se em cada um dos conceitos que anotou. Pode ser via Google, Wikipedia, YouTube… o importante é você se aprofundar, e verificar a aplicabilidade na sua vida. Quando se der conta, já terá lido tanta coisa além do livro que estará com uma sede enorme para ler mais e ter mais conhecimento. E assim, o hábito da leitura se consolida.

O objetivo final é conseguir incorporar todo o conhecimento de uma forma prática, e isso significa dar o pontapé inicial para colocar em prática. Comece em doses pequenas e passos pequenos em direção ao objetivo final. Por exemplo, quando aprendi a começar a investir, comecei por conhecer o meu dinheiro e saber minha posição financeira naquele momento. Você pode começar de forma parecida, abrindo a sua primeira conta numa corretora e comprando os seus primeiros R$100 de Tesouro Direto, por exemplo. E depois aumentar a exposição ou começar a diversificar em outros investimentos. E assim, de passo em passo, você caminha em direção ao seu objetivo final maior de independência financeira.

Este último passo de colocar em prática é importantíssimo. É o passo que traduz o conhecimento em ação e lhe habilita ter resultados. Se você quiser fazer a transição entre um mindset fixo, limitado para um de crescimento, expansível sob o seu esforço, este processo é imprenscindível. Não me surpreenderia se alguma variação deste faça parte da rotina de leitura das pessoas mais bem-sucedidas do mundo.


E você, como faz para ler e continuar com o aprendizado contínuo na vida? Você tem alguma estratégia que usa para consolidar aquilo que lê com a melhoria na vida? Compartilhe comigo aqui nos comentários.

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

6 comentários sobre “Um hábito que mudou a minha perspectiva de vida

  1. ler é a melhor coisa que podemos fazer.
    os posts que faço às sextas, pode não parecer, mas são mais pra mim do que para os leitores. Eles acabam montando um caderno de anotações digital, que me permitem revisar as ideias de um livro sempre que possível! E viva a internet, que deixou os livros tão baratos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Fala Marcelo!

      Obrigado pelo comentário. Curto bastante o seu método de compartilhar as anotações do seu Kindle, eu não havia pensado em fazer isso. Geralmente não grifo muitas coisas, mas mais faço notas mentais para procurar mais sobre um determinado conteúdo depois.

      E concordo, a internet realmente democratizou o acesso ao conhecimento… especialmente aos livros.

      Abraços e seguimos em frente!

      Curtir

  2. Muito pertinente trazer esse tópico à tona Pinguim. Especialmente porque o brasileiro lê muito pouco e tenho a impressão que lê cada vez menos. Mesmo pessoas que dizem gostar de ler, acabam deixando a leitura de lado por conta de outras atividades muitas vezes não muito produtivas. Só acho que não podemos desmerecer a leitura de ficção. As vezes a gente não quer aprender nada lendo, a gente só quer ler pela diversão que isso proporciona, para relaxar, para “descansar a cabeça” das atividades e preocupações do dia. Para mim é um excelente entretenimento, muito melhor que muitos filmes e séries por aí e há muitos livros de ficção que são grandes obras, consagrados, atemporais e que merecem ser lidos. Estou lendo atualmente Guerra e Paz e é um exemplo de obra que vale a pena o tempo que exige para leitura.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Podcast do Pinguim: o hábito que revolucionou a minha vida – Pinguim Investidor

  4. Pingback: Como se manter produtivo durante a quarentena – Pinguim Investidor

  5. Pingback: Como começar a usar o Linux plantou a semente do meu sucesso – Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s