A verdadeira razão pela qual você odeia o seu trabalho

A relação de amor e ódio que temos com nosso emprego primário é interessante: vemos vários livros de auto-ajuda e palestras motivacionais dizendo que “temos que amar aquilo que fazemos,” e que “se você encontrar um emprego que ama, nunca terá que ir trabalhar um dia da sua vida,” mas colocar isto na prática todos os dias é um desafio muito maior que as palavras bonitas nos livros e infográficos postados no Instagram.

Não há dúvidas que trabalhar com aquilo que lhe satisfaz é uma fórmula mágica para ter realização pessoal e felicidade ao longo prazo, mas assim como uma fórmula mágica, possuí-la em sua rotina é extremamente difícil. Uma coisa é certa: aqueles que dizem amar seu trabalho e empregador completamente durante todos os dias estão simplesmente desiludidos. E a razão para isto não tem a ver com o tipo de emprego que você tem, ou o se chefe, ou a sua empresa ou a economia como um todo.

A razão por trás da sua oscilação de amor e ódio pelo se trabalho é porque acima de tudo dependemos do trabalho como nossa fonte de renda e, conversamente, de sobrevivência. Nossa relação com nosso empregador não é simétrica, é ele que detém o poder. Por isso acabamos tendo que aceitar e beijar a mão que nos alimenta, e é extremamente difícil conseguir aproveitar 100% da relação desta forma. Então quem acredita que consegue aproveitar e amar o trabalho 100% está, no fim das contas, vivendo uma ilusão.

Qual é a forma de estabilizar esta relação de amor e ódio pelo trabalho, e começar a aproveitá-lo mais? Além de um trabalho psicológico e desenvolvimento no seu ambiente de trabalho há um outro lado igualmente importante que precisa ser trabalhado: reduzir a sua dependência sobre o seu empregador. No fim das contas, é esta dependência que estabelece este conflito de interesse no seu trabalho, e enquanto você se colocar como um dependente, sempre terá que voltar para beijar a mão que lhe alimenta.

Como você pode reduzir a sua dependência do seu emprego e também melhorar a sua percepção do trabalho principal?

Diversificar a fonte de renda é uma medida de segurança financeira

Falamos muito em diversificação como uma das medidas de redução de risco quando investimos. Você não deve investir todo o seu dinheiro num único ativo, mesmo que relativamente seguro, pois ao espalhar o risco e volatilidade entre mais ativos de classes diferentes podemos tanto diluir o risco total quanto aumentar a possibilidade de retorno do nosso portfólio na mesma manobra.

Este conhecimento é altamente difundido na finansfera, e é a base de uma ciência inteira nos investimentos chamada alocação de ativos. O que não falamos com frequência, porém, é que é possível diversificar também as nossas fontes de renda. E aqui mora mais um mito de finanças pessoais que devemos desvendar.

Tal como o mito que investir é arriscado enquanto que na verdade é mais arriscado não investir por conta da inflação, ao contrário do que se pensa, só possuir o salário é muito mais arriscado do que se parece. O seu salário – sua renda única! – está sendo controlado por uma única entidade que pode ao decorrer do tempo falir ou não conseguir honrar com seus pagamentos, como aconteceu em vários estados no Brasil após 2016.

Então não, “um bom emprego numa empresa grande que não demite” não é o ato mais seguro que você pode ter na sua vida profissional. O que mais acontece é exatamente o oposto: aqueles que dependem de um salário, e surfam as ondas altos salários e aumentos com a economia aquecida, são os primeiros a sofrerem quando despejados em tempos de crise. Seguro é diversificar a sua fonte de renda; obter fontes independentes de renda na sua vida.

Ter mais de um salário não é privilégio dos ricos apenas, embora muitos que se tornam ricos os possuem. É uma medida de segurança financeira.

Renda passiva e renda semi-passiva: “ganhando dinheiro enquanto dorme”

Enquanto que o objetivo-mor do FIRE e da busca pela independência financeira envolve a renda passiva, num post anterior mostrei como ela não é uma bala de prata, nem fácil de se obter. Ainda assim, do ponto de vista de gestão de risco, obter uma fonte de renda 100% passiva é o planejamento financeiro perfeito, e deve ser o objetivo a longo prazo de todos. E este planejamento está ao alcance de todos.

No livro The Simple Path to Wealth, J L Collins – que concretizou o termo F-You Money – disserta sobre a importância da renda passiva orientando os leitores a “usarem suas carreiras para acumulação de f-you money” e capital produtivo. Eu prefiro a descrição do Robert Kiyosaki, onde ele indica que “o trabalho do investidor é transformar o salário em renda passiva o mais rápido possível.”

Esta visualização, este mindset, deve ser o seu horizonte quando você está investindo: a criação de um caixa eletrônico pessoal que nunca esvazia. E não se iluda: a única forma de se construir este caixa eletrônico é através de dinheiro aplicado. Visto sob esta ótica, todo o lance de economizar o salário se torna uma tarefa muito mais nobre.

Enquanto este caixa eletrônico não está 100% operacional, vale a pena também procurar outras fontes de renda semi-passiva. Estas podem ser um trabalho temporário, ou até mesmo um pequeno “bico” que você pode fazer durante o seu tempo livre. Existem plataformas como o Fiverr ou Vinteconto que você pode usar para esses tipos de trabalho. Se você trabalha com Design ou Web Design, muitas startups procuram por este tipo de trabalho para criar sua presença online e merchandise, por exemplo. Proficiência com línguas pode ser utilizada para traduções ou interpretações.

Este tipo de renda não tão desejável quanto a renda passiva, mas é um grande complemento que pode aumentar a sua renda total e diminuir a sua dependência total sobre o seu empregador primário. Ainda assim, vale a pena manter a máxima do Warren Buffett em mente sempre que você fizer uma decisão financeira importante:

If you don’t find a way to make money while you sleep, you will work until you die.

O trabalho é melhor quando você não precisa fazê-lo

Por fim, existe mais um outro benefício sobre não depender do seu empregador ou do seu emprego como fonte de sobrevivência: uma vez que você não depende mais dele, você passa a aproveitá-lo muito mais.

Este efeito pode ser visto quando pessoas voluntariam seu tempo e esforço para várias causas pequenas ou grandes, ou quando aposentados voltam a trabalhar. Adicionalmente, alguns aposentados FIRE continuam ativamente trabalhando em seus projetos pessoais anos após suas finanças puderam sustentá-los passivamente.

Embora possa se argumentar que este trabalho pós-FIRE muitas vezes não lembra o trabalho pré-FIRE, ele da mesma forma oferece alguma remuneração que o aposentado FIRE não precisa. E esta é uma grande razão pela qual se torna agradável: você não precisa aturar suas partes ruins. O valor recebido desta situação é altíssimo.

Esta é uma das mensagens centrais que o Mr Money Mustache passa numa palestra no World Domination Summit, onde o trabalho que lhe traz valor é um dos pilares cruciais para a felicidade humana a longo prazo.

Se o dinheiro é a medida prática de liberdade, e nossa percepção de valor do trabalho aumenta com nossa independência dele, ter múltiplas fontes de renda independentes não é apenas um luxo; é uma necessidade financeira que apenas aumenta ao longo do prazo. Montar as suas finanças de uma forma que lhe forneça tal renda de forma passiva, independente do seu trabalho, é uma garantia de tranquilidade financeira.

Além disso, não esqueça que em média, o milionário americano possui sete fontes diferentes de renda na carteira. As vezes a diferença entre eles nós vai além do que os zeros na conta bancária…


Quantas fontes de renda você possui atualmente? Você sente a necessidade de obter mais? Qual é o valor trago por múltiplas fontes de renda para você? Escreva nos comentários.

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

Photo by Nathan Dumlao on Unsplash

15 comentários sobre “A verdadeira razão pela qual você odeia o seu trabalho

  1. executivoinvestidor

    Ola Pinguim, excelente post! Concordo quando diz que precisamos diversificar as fontes de renda. No meu caso, minha renda fire vira de 3 fontes principais: aluguel de imoveis, dividendos (REITs e stocks) e lucro da franquia.
    Abs!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Executivo!

      Há quanto tempo não o vejo, obrigado pelo comentário! Suas rendas parecem sólidas, parece agora que você está na reta final do FIRE, não é mesmo? Atualmente, esta renda passiva correspode a quantos % mais ou menos do seu income total?

      Por já estar nesta situação tão perta do FIRE, seu caso é realmente inspirador. Best of luck pra você!

      Abraços e seguimos em frente!

      Curtir

      1. executivoinvestidor

        Isso mesmo Pinguim. Menos que um mês agora! Contagem regressiva.
        Tenho lido os blogs mas está difícil comentar… muito corrido!
        Atualmente a renda passiva corresponde a pouco mais da metade (uns 55%) dos meus rendimentos mensais…
        abs!

        Curtido por 1 pessoa

  2. Marco

    Fala PInguim.

    Vejo poucas pessoas discutindo sobre diversificação de salários fora de bons blogs/foruns. É um tema importante e eu venho aplicando isso na minha vida, principalmente por ser servidor publico federal de baixo clero e cada vez mais estamos sendo pressionados contra a parede, se há quem acredita que o governo vai honrar seus compromissos eu prefiro acreditar em papai noel, sendo assim tenho 4 fontes de rendas entre elas o meu salário. Comecei o ano passado com uma e logo no começo desse ano entrou a 4 fonte de renda, são atividades de trabalho, não considero proventos dos meus investimentos. A 1 fonte é o meu salário e correspondeu com 75% da renda do ano passado, a 2 fonte eu sou autonomo e trabalho para uns gringos via internet, as vezes tem muita demanda as vezes não tem, é uma demanda instável porém é um trabalho prazeroso e tranquilo, com potência financeira alta por ser em dolar, ela correspondeu a 22% da minha renda do ano passado sendo iniciada logo no final de janeiro de 2019, a 3 fonte de renda é para um site que tenho prestado serviço(sou um quarteirizado) e correspondeu por apenas 3% da renda porém foi por apenas dois meses e ela tem se mostrada muito promissora, principalmente por ter demanda mais constante e pode cobrir a fonte 2 quando nao tem trabalho. A fonte 4 comecei essa semana, ela mixa as fontes 2 e 3 e o meu antigo trabalho no setor privado, presto suporte a uma empresa estrangeira, ainda estou experimentando, parece promissor por ser mais constante como a fonte 3 porém sem o potencial financeiro que a fonte 2 possui. Inclusive estava trabalhando na fonte 2 agorinha. Gostei muito do seu blog, vou adicionar nos meus favoritos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Marco!

      Obrigado pelo comentário. Sem dúvida você tem um planejamento financeiro bem avançado com estas quatro fontes de renda distintas. Quando nem o governo parece poder honrar com alguns dos salários, é bom diversificar mesmo.

      Se você depende do seu emprego primário para apenas 75% da renda, parabéns. Muita gente ainda está 100% dependente de um emprego. Você já calculou o quanto conseguiria sobreviver apenas com as outras fontes de renda disponíveis? A depender, parece que poderia se manter de certa forma.

      Obrigado por me adicionar. Boa semana pra você!

      Abraços e seguimos em frente!

      Curtir

    1. Olá Stark!

      Dizem que um dos maiores drivers na área de software é o desenvolvedor resolvendo um problema próprio dele, e em seguida usando a solução para resolver os dos outros. Parece que foi isso que você realizou também.

      Que bom que conseguiu transformar numa fonte de renda, ainda que não passiva, pois afirma a sua independência em uma única fonte de emprego, este é o caminho certo!

      Abraços e seguimos em frente!

      Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Novas taxas da B3: como me impactam? – Pinguim Investidor

  4. Pingback: Kit de Sobrevivência Japonês e o planejamento financeiro – Pinguim Investidor

  5. Pingback: Resource Scoping, ou por que você não deve pegar sempre o maior e mais bonito – Pinguim Investidor

  6. Pingback: O paradigma do Taco Bell na Independência Financeira – Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s