A importância de estar consciente

Em 2016 arranjei um ingresso para assistir uma competição de Taekwondo no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Era uma das mais acessíveis, já que não é tão popular. Chegando lá, ao entrar no estádio, fui comprar uma água para tomar, e vi uma cena que nunca mais me esqueci.

As bebidas estavam sendo vendidas nas barraquinhas em copos plásticos decorados à moda do Rio 2016, e eram recebidas com a compra de uma bebida alcóolica, como cerveja, para não se ter o problema de latas e garrafas de vidro sendo jogadas ao redor dos estádios. Com isso, recebia-se um copo por cerveja comprada. Um indivíduo na fila havia acabado de comprar mais uma cerveja quando percebi que ele passou do meu lado carregando uma pequena “torre” de nada menos que uns vinte e quatro copos, montados um dentro do outro. Sim, esta pessoa deveria ter bebido no mínimo umas vinte e poucas cervejas durante o seu dia no Parque Olímpico, e ainda voltava para pegar mais.

Meu pensamento na hora foi: esse cara pensa que está num churrasco na casa dele? Pra quê beber tanto ao invés de aproveitar esse momento único da vida, quando os Jogos Olímpicos estão na sua cidade, acessíveis pra você pela primeira vez? Uma pessoa que bebeu tanto assim não pode ter tido memórias sóbrias e sólidas de como foi a experiência Olímpica no Brasil; deve ter sido nada mais do que apenas mais um outro dia ocioso onde se bebeu a tarde toda.

Como já mencionei antes, embora eu não beba mais, não tenho problemas com a bebida, ou quem bebe. Mas esta história revela uma coisa importantíssima que aprendi no decorrer do meu aprendizado financeiro e pessoal: independente do que você faz no seu dia, deve ter sempre a consciência das suas ações, tanto sobre o quê está fazendo quanto no que tal ato acarretará como consequência.

Esta consciência é fundamentalmente diferente daquela “força do hábito” onde sua mente entra em piloto automático e você não questiona se está fazendo da maneira certa ou melhor. Muito pelo contrário: esta é a consciência onde você consegue abstrair da ação, averiguar a situação, se conscientizar de como esta ação afeta você ou seu ambiente e como você pode mudar ou melhorá-la.

A falta desta consciência possui consequências graves, e pode levar a formação de hábitos nocivos às suas finanças e vida pessoal. Se você já sofreu algum dia de procrastinação, por exemplo, é provável que a causa esteja relacionada à não-consciência de algum hábito seu.

Como funciona este fator crucial de estar consciente, e como ele contribui para o seu crescimento? Vejamos a seguir.

Se você não tem consciência da sua vida, como escolhe o seu destino?

Aos olhos dos estóicos, o ser humano possui a dádiva do pensamento racional, o que não é dada a nenhum outro animal. Isto significa que é dever do ser humano usar esta consciência para ajudar os outros e o mundo, numa prática chamada pelos estóicos de virtude.

A prática estóica da virtude vai de encontro com a necessidade de consciência diária. É impossível conseguir praticar a virtude, ajudar o próximo e se comprometer com fazer o bem sem estar consciente sobre o que são as suas ações.

A virtude é uma boa referência inicial sobre como a consciência deve ser aplicada, mas esta ainda pode ser estendida além deste dever na vida do ser humano: a consciência é a capacidade de escolher o destino da sua própria vida. A consciência é o fator que leva você a fazer escolhas sensatas e racionalmente analisadas. E quanto mais agilmente você conseguir fazer estas escolhas, mais eficiente será o seu planejamento.

Infelizmente, no mundo de hoje existem vários fatores que nos distraem da consciência das nossas ações. Você pode culpar a TV, mídias sociais ou o seu smartphone por esta distração, mas a verdade é que a causa-raíz central à ela está em nós mesmos: nossos hábitos que se formam e são difíceis de quebrar.

Seus hábitos estão deixando a sua mente à deriva?

Quando você aprende alguma coisa nova, especialmente por fazer, geralmente no início aplica muita consciência nas suas ações. Cada passo é pensado e calculado com precisão, e nenhuma parte do processo é feita sem pensar em como afetaria o restante. Quando se adquire uma certa experiência, porém, menos e menos consciência é dedicada para o processo. Como nos acostumamos com a repetição e experiência, acabamos por receber “perícia” na tarefa, e com experiência suficiente, tal tarefa pode vir a se tornar um hábito regular.

Aqui mora um perigo: embora os hábitos nos economizam energia mental na hora de realizar um trabalho, eles também nos retiram a consciência para fazer a análise racional de impacto. A consequência é que a falta de consciência nos tira a oportunidade de analisar para melhorar ou extrair sentido da tarefa sendo feita.

Adicionalmente, quando hábito ruim se forma, o malefício aumenta: além da falta de consciência, ficamos tão “saciados” pelo feedback prazeroso produzido por eles que não pensamos em como ele nos priva de da oportunidade de se conscientizar.

Por exemplo, hoje em dia todos nós temos um hábito como esse:

Quem nunca passou horas a fim vendo algum aplicativo de celular, ou vendo vídeos do YouTube sem nenhum fim específico? Admita, todos nós já procrastinamos algum dia.

A falta de consciência traz consequências como essa. Infelizmente, com a abundância de informações na vida, cada vez mais as plataformas, dispositivos e aplicativos se colocam de uma forma que nos drena a consciência e a atenção, tornando cada vez mais difícil manter o foco e a racionalidade.

Por isso, hoje é mais importante do que nunca manter a consciência em nossas ações. Hábitos formados nos tiram esta oportunidade de questionar, analisar e, essencialmente, viver nossas ações, e portanto devem ser tomados com cuidado.

Conscientização das pequenas coisas traz juros compostos no seu desenvolvimento pessoal

Para combater esta falta de consciência, é necessário prática. A prática diária da consciência, até mesmo começando pequeno e simples como uma reflexão sobre “por que estou fazendo isso?” trará grandes benefícios e direção para a sua vida. Para estar na montanha, primeiramente você precisa subir a montanha.

Grande parte das pessoas não acredita que as pequenas mudanças poderão ter efeito significante em suas vidas, mas, como escrevi anteriormente, são as pequenas coisas realizadas sobre longos períodos que trarão sucesso na vida. Começar com a sua rotina diária é um bom ponto de partida.

Questione-se sobre por que você faz alguma determinada coisa todas as manhãs: por que você acorda num certo horário? Por que faz certa coisa? Por que come a mesma comida no café da manhã? Por que escolhe se exercitar de manhã ou tarde, ou não se exercitar? As respostas trazidas por estes questionamentos irão lhe ajudar a se desenvolver.

Ao fim destes passos iniciais, comece a refletir quanto ao impacto, importância e relevância das tarefas diárias enquanto as realiza. Fazer este questionamento enquanto você está fazendo alguma coisa vai lhe ajudar a atrelar algum valor específico na tarefa e decidir se esta é relevante ou não ao seu desenvolvimento.

Como conclusão, você poderá descobrir que assistir Netflix todas as noites não é necessário nem traz valor à sua vida, ou que o tempo que você passa se forçando a estudar Francês de noite não está trazendo os benefícios que esperava. Tudo isso é informação relevante para o seu desenvolvimento. O importante é que você torne isso um costume e parte de sua rotina, para que faça uma auto-limpeza nos hábitos que possui para melhor.


Você possui consciência dos seus hábitos diários? Como faz para que eles não prejudiquem a sua rotina e diminua a sua produtividade? Escreva nos comentários!

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

Anúncios

4 comentários sobre “A importância de estar consciente

  1. kspov

    Fala Pinguim, blz?

    Interessante suas observações. Se todo mundo tivesse essa consciência seria ótimo. Vemos cada vez mais pessoas fazendo as coisas no automático e nem pensam pq estão fazendo aquilo.

    Me assusto com uma colega que adora gastar. Todos os dias aparece com uma compra nova. Mulher por natureza adora consumir. Mas se todos fizéssemos essa reflexão que vc comentou, consumiríamos com mais consciência. E se fizéssemos isso para tudo na nossa vida, viveríamos com mais consciência.

    Abs e bons investimentos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá kspov!

      Obrigado pelo comentário.

      É verdade, a consciência é o passo inicial crucial para que estejamos sempre alinhando e trazendo valor para nossas atividades diárias, mesmo que seja gastando dinheiro. Se mais de nós fizéssemos estas reflexões, com certeza viveríamos melhor.

      Abraços e seguimos em frente!

      Curtir

  2. Pingback: Dependências cumulativas irão te levar à desgraça – Pinguim Investidor

  3. Pingback: Estudo de caso #2: presentes de grego financeiros – Pinguim Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s