O que você tem feito pra proteger o seu tempo?

Quanto vale o seu tempo?

Não, não estou falando do seu salário atual dividido por horas trabalhadas, embora esse conceito também é interessante. Estou falando do seu tempo, o tempo sob a sua percepção. E também o seu tempo pessoal, free time, o tempo que você controla. Muitos de nós nos preocupamos com a utilização do nosso tempo no trabalho, otimizando as nossas tarefas no escritório para conseguir fazer cada vez mais coisas em menos tempo, mas quando o “dever” não nos chama, ficamos meio que à deriva, sem planejar.

Desde que comecei a me interessar na Independência Financeira e o movimento FIRE, passei a me interessar muito sobre a eficiência como um objetivo de vida, e como posso usar o meu tempo, dentro ou fora do trabalho, da melhor forma possível. Desde que me interessei no assunto, percebi que de nada adiantaria ter quantidades imensas de tempo livre em casa se este é jogado fora através de TV ou surfar aleatoriamente nas redes sociais. É necessário se policiar quanto ao uso do tempo mesmo que fora do trabalho, pois ele é o seu ativo mais importante na vida.

Este conceito começou a ficar cada vez mais claro para mim, mas como um conhecimento subentendido, algo como um hábito no background. Eventualmente, assisti um vídeo do Jeff Rose, um YouTuber que referenciei anteriormente, onde ele dá um nome diferente ao mesmo conceito: proteger o seu tempo. E, simples assim, comecei a me conscientizar ativamente quanto ao uso do meu tempo livre, a fim de protegê-lo e me tornar cada vez mais eficiente.

Aqui estão alguns hábitos que uso pra proteger meu próprio tempo.

O exemplo de Bezos

O vídeo de Jeff abre com uma analogia poderosa que me inspirou a me conscientizar sobre como gasto o meu tempo: Jeff Bezos catando dinheiro do chão.

Na analogia, o (ex) homem mais rico do mundo está andando na rua e tem um dilema: será que ele deve se agachar e pegar uma nota de cem dólares que achou no chão, ou seguir caminhando para a sua reunião de negócios? Surpreendentemente, ele ganhará mais dinheiro ignorando a nota de cem, até mesmo se fossem 1000 dólares no chão, pois com o seu salário atual de aproximadamente US$2500 por segundo, ele perderia algumas centenas de dólares fazendo tal esforço.

Claro que não somos todos Jeff Bezos, mas a mensagem é igualmente importante: o que você faz no seu tempo livre vale mais do potencial que você poderia atingir se estivesse orientado?

Depois de começar a pensar desta forma passei a prestar atenção em como o meu tempo é alocado ou sublocado. A internet passou a ser uma fonte de pesquisa e conhecimento ao invés de entretenimento barato. Passei a digitar mais (produzir) e clicar menos (consumir). Tudo o que poderia ser paralelizado (lavar roupa, renderizar ou baixar algum arquivo) ou colocado em background passou a ser paralelizado. E claro, toda vez que eu agora assisto algum conteúdo vídeo, coloco tudo na velocidade 2x.

Infelizmente é difícil precificar o seu tempo livre, mesmo usando as técnicas do Your Money or Your Life, pois não há um salário para se basear. O que tenho pensado é no potencial como um investimento. Toda vez que faço um post novo, leio um novo livro ou assisto algum vídeo sobre investimentos, acabo aprendendo mais e aumentando o meu potencial para conseguir ganhar mais dinheiro em âmbito profissional.

E olhando com estes olhos, o meu tempo livre é mais valioso que qualquer salário.

Ganhando o almoço de volta

Uma das mudanças mais drásticas que realizei na minha rotina foi a respeito do horário de almoço. Pode parecer uma mudança mínima, mas a hora de descanso reservada para o almoço pode ser uma fonte de tempo valiosa.

Durante a maior parte da minha vida profissional, fiz parte do time de comer em restaurantes durante o almoço. A razão eu não entendia no começo, mas foi provavelmente porque a maioria das pessoas fazia isso no departamento também; deu meio-dia, todos saem. Dá 13h, todos de volta sem falta.

O que eu nunca havia percebido até então era que o quanto que este método é ineficiente ambos em tempo e dinheiro. O que antes era uma questão de “fazer um social” quando comecei hoje é impraticável em termos de eficiência. Especificamente, quando você opta por sair pra almoçar:

  • Você precisa sair do escritório e se deslocar até algum restaurante, e voltar também. Lembrando que quanto mais perto o restaurante, mais pessoas vão querer comer nele pela facilidade.
  • Dependendo da popularidade, a espera e o tempo parado podem ser imensos. Fila pra entrar, pra sentar, pra pedir e – gasp! – pra pagar. Possíveis soluções podem ser sair do escritório mais cedo ou mais tarde, dificultando reuniões.
  • O preço que você paga é artificialmente inchado, e não reflete o justo. Restaurantes próximos de escritórios sabem o valor dos VRs das maiores empresas ao redor, e inclusive magicamente aumentam seus preços quando reajustes acontecem. E nem por isso a qualidade da comida é proporcional!

Quando eu almoço no escritório, não só eu economizo no preço da refeição, mas eu também consigo reservar o tempo do almoço 100% pra mim. É nessas horas que eu aproveito para assistir alguns vídeos dos canais de finanças pessoais que eu acompanho, ler meus livros ou até escrever alguns dos posts do site.

Não dá pra trocar estes ganhos de tempo que tenho almoçando no escritório!

Saindo cedo do trabalho: até quando você é pago mesmo?

Igualmente, quando estava no início de carreira eu fazia muita hora extra no escritório. No começo a motivação era financeira (era analista e ganhava por hora) tanto quanto psicológica (não queria aparentar estar trabalhando “menos” em perante ao chefe e os outros do departamento).

Hoje, porém, estes dois conceitos não poderiam estar mais longe da minha realidade. Possuo um cargo de confiança e salário fixo ao mês, não importando quantas horas eu trabalho. E além disso, tenho confio na eficiência do meu trabalho o suficiente para não depender da aprovação ou percepção dos outros. Assim, notei que não mais precisava cumprir algum “dever” além do horário de expediente, e aquelas horas e frações extras passaram a ser minhas de volta.

No começo foi um pouco esquisito regressar ao horário normal de expediente, ainda mais com aquela piadinha que eu odeio do ué já tá saindo? Que foi, tá desmotivado? Mas, como qualquer coisa na vida, foi apenas mudar o mindset e a mudança foi sentida imediatamente. Passei, entre outras coisas, a pensar da seguinte maneira: meu tempo remunerado acontece durante um horário específico, fora dele não há mais salário. Assim, vale mais a pena focar o meu esforço fora deste horário nos meus investimentos pessoais (educação financeira, blog, etc).

Isso não significa que estou com um mindset de preguiça, ou que não quero mais produzir. Muito pelo contrário: notei que, ao comprimir meu dia produtivo até 6PM apenas, consigo ter muito mais coisas realizadas durante o trabalho. A escassez gera abundância!

Comprando duas horas extras do dia

Outra forma de ganhar tempo que me ajudou bastante foi acordar mais cedo todos os dias.

Recentemente, este tópico ganhou bastante força, especialmente quando levado a níveis um pouco mais extremos como o 5AM club, ou como Dwayne “The Rock” Johnson, que acorda todo dia às 4 da manhã. Eu particularmente ainda não estou neste patamar, mas talvez algum dia me aprofunde mais. Por enquanto, resolvi apenas tomar a decisão de acordar uma hora mais cedo, às 6:00.

Mas aí você me pergunta: mas você não falou em comprar DUAS horas do dia? Explica aí essa matemática! E a mágica maior de acordar cedo está exatamente aí; ao acordar uma hora mais cedo conscientemente, eu não só ganho a hora a mais do dia, mas eu me torno preparado para o dia uma hora mais cedo também. Tenho uns quinze minutos ainda sonolento, mas quando estes passam, noto que já mantenho uma mente afiada e pronta pra produzir logo cedo, o que me permite começar a produzir desde então.

Em comparação, quando eu não tinha este mindset e acordava “apenas por acordar,” eu podia até acordar relativamente cedo pro trabalho, mas sem a consciência continuava meio zumbi pela casa, olhando o celular e comendo o café da manhã sem objetivo. Olha a perda de produtividade aí…

Não tem tempo pra ler aqueles livros que você têm se prometido desde cedo? Faça isso durante essa hora. Não tem tempo ou energia para escrever aqueles posts depois do expediente? Faça antes dele. Quer se exercitar mas não tem tempo? Você já sabe a minha resposta.

Conclusão: mente limpa, tempo consciente

Quando tomei consciência da utilização do meu tempo livre fora do expediente, meu modo de operar mudou completamente. Passei a prestar atenção a todos os buracos onde meu tempo costumava ficar entalado e me conscientizei a mudar. Passando a ver meu tempo como um ativo precioso e finito, aderi técnicas para protegê-lo e como consequência, minha mente ficou mais tranquila e comecei a ser mais eficiente.

Nem todo mundo pode concordar com as minhas decisões (há gente que é mais workaholic, ou é mais eficiente de noite ao invés de manhã), mas acredito que a dica em geral ainda vale: o que você tem feito diariamente para proteger o seu tempo?

Pense nisso a partir de agora e a sua rotina mudará.

Abraços e seguimos em frente!

Pinguim Investidor

PS: aqui está o vídeo do Jeff Rose sobre o mesmo tema.

Anúncios

6 comentários sobre “O que você tem feito pra proteger o seu tempo?

  1. Pinguim, seus textos são sempre muito bons de ler. Gostei muito da temática!

    Eu também estou buscando ganhar horas extras para mim mesmo acordando mais cedo que o horário padrão (aquele apenas que deixa tomar um café correndo e não se atrasar para o trabalho), tem me ajudado a ser mais produtivo. Aliado a isso, estou buscando reduzir o consumo, pois penso que menos consumo demanda menos esforça para conseguir algo, logo menos stress na corrida dos ratos.
    Abraço

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, semeador, obrigado pelo comentário e o elogio!

      É isso aí, muita gente acha que acordar cedo tem que ser às 5h pra ver se “a inspiração vem” mas pra mim a verdade é que sem uma rotina que tenha algum significado, passa a ser só mesmo mais um esforço em vão. Dar um tempo confortável pra conseguir tomar o café tranquilo ou ler um livro já está ótimo. E outra coisa é que acordar cedo não implica dormir pouco: quem acorda às 5h tem que de certa forma ir dormir às 22h, senão a longo prazo não rola.

      Consumir menos é outra manobra interessante, pegar os aportes maiores e colocar nos investimentos vai acelerar ainda mais a caldeira!

      Bons aportes, e seguimos em frente!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Gente, está difícil administrar o tempo, os dias têm passado muito rápido. A gente ainda se distrai com o celular e a internet. Na minha época sem o mundo digital, todos tinham tempo. Havia tempo para visitas, para enviar cartões pelos Correios e hoje as pessoas não tem mais tempo para nada!
    Ao ver este post , fiquei pensando, não sei administrar meu tempo porque não tenho a força de vontade de levantar uma hora mais cedo antes dos meus compromissos…Temos que trabalhar isso e é difícil. Parabéns por sua dedicação , ótimo post!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Maior que Zero – Pinguim Investidor

Deixe uma resposta para Semeador Financeiro Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s