A pérola

Outro dia na rua, passei na frente de uma joalheria e vi na vitrine uma bela pérola. Uma pérola grande, com brilho misterioso, formato perfeitamente esférico, daquelas que ficamos naturalmente mesmerizados ao olhar. O preço na etiqueta eu nem me dei o trabalho de olhar, sabia que não ia me agregar valor nenhum mesmo.

Não são todos que sabem sobre a origem da pérola, de como ela é formada e de onde vem. Alguns sabem que vêm das ostras, aquelas mesmas que comemos gratinadas, ou arriscando na praia mesmo com limão e sal na hora. Iguaria deliciosa pra uns, jóia rara pra outros. Eu vejo a pérola sob outros olhos; vejo um trabalho dedicado, superação… e paciência.

A pérola é criada por moluscos bivalves como as ostras em resposta a uma ameaça externa: quando algum corpo estranho passa pela defesa das conchas, a ostra reage secretando uma substância chamada madrepérola, em sua composição quase que 100% cálcio, que envolve o corpo estranho e o isola da ostra.

A ostra então dá início a um trabalho dedicado, vagarosamente enrolando e envolvendo a impureza na madrepérola em várias camadas, até que esta endurece, calcifica e, ao decorrer de várias semanas e meses, se torna uma bela pérola brilhante. E a impureza original está seguramente contida dentro do material.

Eis que é este o trajeto da pérola, e por conta deste processo, algumas ostras conseguem acumular múltiplas pérolas ao longo de uma vida completa. O ser humano, com seu desejo por maior volume e perfeição, às vezes “acelera” o processo artificialmente injetando pequenas impurezas à força dentro das ostras em criadouro para colher pérolas maduras em espaços de tempo mais curtos.

É comendável como aquela impureza – aquele parasita – que buscava destruir a ostra é propriamente transformado numa verdadeira obra de arte, com valor comparável a de uma pedra preciosa. E isso se aplica a nós também.

Em várias formas, a pérola é metáfora para a vida e o sucesso humano. Quantas vezes, por exemplo, não somos expostos ao desconforto, à ameaça ou até mesmo o perigo de forma natural ou induzida? A maneira que reagimos aos nossos problemas e ameaças pode fazer toda a diferença na hora de aprendermos e nos fortalecermos. Se aceitamos o desafio, podemos aprender e com a experiência produzir algo extraordinário.

Pense em quantas pérolas você carrega na sua vida, produzidas e polidas com o seu próprio suor. Quantos parasitas já processou e transformou em belas pérolas de valor de vida? Pense também nas dificuldades e irritações que tem passado recentemente. O que você vai fazer a respeito destas? Você pode sucumbir e desistir de lidar com os problemas.

Ou poderá enfrentá-los e produzir outra bela pérola.


Abraços e seguimos em frente!

Anúncios

5 comentários sobre “A pérola

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s