Histórias de Fracasso #1 – Harland David Sanders

Estou iniciando mais uma minissérie do Pinguim: as histórias de fracasso. O racional por trás desta série é simples: qualquer um consegue contar uma história de sucesso, mas é preciso um gênio para contar sobre o fracasso de uma maneira cativante.

Eu particularmente sempre estive mais interessado na parte do fracasso das pessoas bem-sucedidas. Me fascina até hoje ver como eles falharam, aprenderam e conseguiram virar o jogo para se tornar muito mais sucedidas do que os seus pares.

É fácil olharmos para as pessoas de sucesso e ouvir suas entrevistas e acompanhar nas mídias sociais quando eles dão os seus “7 conselhos para quem quer estourar este ano.” Mas, para mim, o verdadeiro ouro está por trás disso tudo: o que desabou no background para esta pessoa se reerguer tão forte para nunca mais desabar?

Neste piloto da série, falo sobre Harland David Sanders, o fundador da franquia de restaurantes KFC. “Persistente” é talvez uma palavra fraca para descrever a história deste empreendedor, que passou praticamente uma vida inteira fracassando antes de finalmente acertar o KFC depois dos seus 65 anos de idade.

O que uma pessoa que errou a vida inteira para acertar em cheio no final pode nos ensinar? Que a persistência e a disposição para aprender com os erros recompensa quem se dedica a elas.

Uma vida repleta de fracassos

Sanders deveria entrar para o Guiness como a pessoa bem-sucedida mais fracassada da história. Sua vida desde jovem foi repleta de fracassos e operações medíocres que passou para conseguir sobreviver, tornando-o o epítomo do jovem que não deu em nada na vida.

Perdera o pai quando tinha 5 anos e largou a escola aos 13, dizendo que não entendia de álgebra. O pequeno Sanders, porém, nunca se deixara levar pela preguiça; saiu de casa e começou a trabalhar imediatamente.

Sanders se interessou pela carreira de direito e passou a estudar meio período após o trabalho até conseguir sua licença para praticar. Porém, tudo foi por água abaixo quando, no seu primeiro caso da carreira, brigou no tribunal contra o seu próprio cliente e perdeu a licença.

Após este incidente, Sanders começou a trabalhar para uma empresa de seguros como um de seus vendedores mas ele também foi despedido desta posição porque seu empregador o considerava insubordinado demais. Então tentou o empreendedorismo pela primeira vez operando balsas que atravessavam o maior rio do estado, e teve sucesso pela primeira vez.

Buscando negócios maiores, vendeu a empresa de balsas e usou o capital acumulado para abrir uma empresa de lampiões a gás, mas esta rapidamente faliu uma vez que a lâmpada elétrica se popularizou nos anos 20. Inabalado pela derrota, Sanders arrumou um emprego operando um posto de gasolina em Kentucky. Tudo ia bem até que em 1930 a grande depressão Americana secou o negócio da região.

Sanders começou a trabalhar na cozinha de um outro posto e aperfeiçoou a sua técnica de fritar frango, que se tornou popular o suficiente para atrair consumidores da região. Com o dinheiro juntado, embarcou novamente no empreededorismo e comprou um hotel próximo à uma área turística famosa. Os negócios fluiram bem, até que em 1941 os EUA entraram na Segunda Guerra Mundial e racionaram gasolina, acabando com as viagens e turismo da região. Sanders faliu novamente.

Nascimento do KFC

Ao completar 65 anos, Sanders não possuía casa, e todos os seus bens eram um carro e sua panela de pressão onde cozinhava frangos. No bolso tinha apenas $105, e a aposentadoria era rala.

Procurando novos negócios, morou no seu carro durante alguns anos enquanto tentava vender de porta em porta sua receita de fazer frango para os restaurantes da região sem sucesso. Durante este período, Sanders foi rejeitado 1009 vezes pelos seus clientes.

1009 vezes!

Se você já ouviu em alguma palestra motivacional como persistência é uma das características-chaves que você deve ter, pense novamente sobre o que significa esta persistência. Você se considera persistente? Conseguiria mesmo aguentar mais de 1000 rejeições?

Só pra gente ter uma idéia aqui, vamos dizer que o cara fez um tremendo esforço, e conseguia procurar e ir atrás de 5 restaurantes por dia. Mesmo com esta energia comendável, ele ainda levaria um não na cara por mais de 200 dias seguidos sem folga!

Quantos de nós teríamos desanimado, ou até mesmo desistido da idéia pra procurar uma coisa melhor? E isso sem contar que ele estava sem casa e ainda tinha que achar dinheiro pra cobrir a gasolina pra ir pra restaurantes em cidades que ficavam cada vez mais distantes. Se isto não é a persistência em pessoa, eu não sei o que é!

Na sua milésima-décima tentativa, Sanders foi aceito e o resto, como dizem por aí, é história. Qual é a lição que tiramos disso tudo?

Lições dos (muitos) fracassos de Sanders

Ao ler sobre a história de Sanders, lembro de um trecho nos livros do Robert Kiyosaki onde ele parafraseia um dos maiores jogadores de Baseball da história dos Estados Unidos. Ele diz que “não importa quantas tacadas você erra, é necessário apenas um home run para vencer.” E eu não consigo pensar num exemplo melhor do que o caso dele.

A persistência é a lição mais óbvia deste post, e isso ressona com a atitude mental das pessoas ricas, que pensam que The harder I work, the luckier I get.

A sorte e a persistência com certeza contaram muito na história dele, mas de nada adiantaria um aceite de um gerente de restaurante se Sanders não tivesse também acumulado enorme experiência durante a jornada também.

Embora começar aos 65 pode ser uma pequena desvantagem para quem quer enriquecer, para Sanders se tornou vantagem pois foram 65 anos de múltiplas experiências gerindo negócios próprios, trabalhando em restaurantes e – claro – fritando frango.

Muitas pessoas procurando “acertar de primeira” poderão errar logo depois de receber uma sonhada oportunidade por causa justamente disto; a falta de experiência. Acumular experiência, mesmo que através de trabalhos mesmo desejáveis, pode se tornar um ativo forte posteriormente, quando se olha por cima um negócio.

E finalmente, uma pessoa que errou e fracassou tanto antes de finalmente ser bem-sucedida como ele não tem o medo de errar. O medo de errar é o pior medo possível: é o medo que te limita, prende e te bloqueia de tentar alguma coisa nova. A persistência, combinado com este traço, é a única forma de se obter experiência e aprender para se tornar bem-sucedido no futuro.

Esta é uma lição que eu poderia apreciar bastante também; algumas vezes ainda fico ansioso e apreensivo na hora de tentar alguma coisa nova. Mas a lição de Sanders é maior do que estes anseios: é apenas errando que podemos aprender na vida.

E para concluir o post, compartilho uma frase do próprio Sanders que epitomiza o espírito guerreiro dele, de nunca desistir nem na face da idade avançada:

Believe. Dream. Try. Succeed. Age – no bar!

Harland David Sanders

Eu não poderia ter dito melhor.


E você, prefere histórias de fracasso também? Quais lições você tira da história de Harland Sanders?

4 comentários sobre “Histórias de Fracasso #1 – Harland David Sanders

  1. Simplicidade e Harmonia

    Pinguim Investidor,

    Muito legal sua ideia sobre essa série de posts.

    Sem dúvida temos muito a aprender com o fracasso dos que conseguiram ser bem sucedidos.

    Fracassar 1009 vezes e persistir não é para qualquer um… Com certeza uma grande lição para todos nós.

    Até mais!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s