Resenha do Pinguim #3 – Early retirement extreme de Jacob L Fisker

Mais um livro lido, tentando bater a meta das Resoluções de Ano novo, e hora de mais uma resenha. Early Retirement Extreme é escrito por Jacob L Fisker, autor do blog de mesmo nome, e pode ser considerado como o epítomo da frugalidade moderna. Não sabia da existência do blog até começar a ler, mas acredito que o blog tenha vindo antes. Veja o resumo do Goodreads:

A strategic combination of smart financial choices, simple living, and increased self-reliance brought me financial independence at 30 and allowed me to retire from my profession at 33. Early Retirement Extreme shows how I did it and how anyone can formulate their own plan for financial independence.

Antes de tudo: aviso aos principiantes

Este livro consegue ser mais próximo de uma enciclopédia ou um manual técnico do que um livro em si, graças ao enorme volume (umas 500 páginas, difícil de estimar pelo ebook) e o detalhe do conteúdo técnico apresentado (equações matemáticas, análise gráfica, e inclusive reações químicas!) Portanto, não recomendo a leitura dele para um iniciante absoluto do movimento FIRE. O livro utiliza um linguajar complexo para descrever conceitos avançados da filosofia, e é extremamente instrutivo para o adepto a frugalidade.

Para quem já conhece o básico da frugalidade e independência financeira, porém, o o livro se torna um material riquíssimo, digno de se reler múltiplas vezes só para absorver bem algum conceito complexo que ele apresenta. O nível de detalhe é tanto que terei que além de fazer a resenha, terei que escrever alguns follow-ups abordando assuntos específicos do livro. O resultado final é que se este livro parecer tedioso, maçante no início, não desista de lê-lo! Ele cobre muita teoria no começo, mas os exemplos práticos posteriores são garantidos de acrescentar muito conhecimento.

Dito isso, vamos à resenha:

As dimensões financeiras

Fisker abre a discussão teórica introduzindo o conceito de duas dimensões financeiras (degrees of financial freedom) a partir das quais o “perfil” financeiro de qualquer pessoa é traçado. Estas são: linearidade (linearity) e acoplamento (coupling).

Linearidade se refere a quão previsível e determinístico é a fonte de renda. Por exemplo, um trabalhador assalariado ou funcionário público possui alta linearidade pois sua renda mensal é o salário quase garantido de sair todo mês. Por outro lado, um trabalhador autônomo, empresário ou consultor possuem linearidade baixa já que a renda depende da demanda dos seus serviços, e pode variar significantemente no mês.

Coupling se refere a quão atrelado, quão dependente ao trabalho e esforço do indivíduo estão a renda e os resultados. Por exemplo, o trabalho na agricultura é altamente acoplado, pois o lucro do agricultor é diretamente proporcional ao quanto é colhido. Por outro lado, o trabalho de um comerciante é de baixo acoplamento já que o lucro obtido de vendas não é diretamente influenciado pelo esforço do trabalho no caixa.

Para Fisker, o ideal para o princípio FIRE é atingir ambas baixa linearidade e baixo acoplamento na fonte de renda. Desta forma, separação da renda do trabalho se torna possível (independência) mesmo que se perca constância da renda, que é combatida com frugalidade e vivendo uma vida menos dependente de serviços e produtos externos. Atingir este ponto significa se tornar um arquetipo que Fisker chama de Renaissance Man.

Os quatro arquetipos

Fisker descreve quatro arquetipos de trabalhadores modernos baseados nas dimensões financeiras e quão preparados para o modo de vida FIRE eles estão. São eles:

Arquetipo Linearidade Acoplamento Exemplo
Salary Man Alta Alta Qualquer trabalhador assalariado, ou funcionário público
Working Man Média Alta Trabalhadores autônomos, MEI, consultores
Business Man Média Baixa Empresários, comerciantes, etc
Renaissance Man Baixa Baixa Early retirees, pessoas semi-aposentadas, voluntários

Segundo Fisker, apenas o ideal do Renaissance Man, com baixa dependência no trabalho (linearidade) e fonte de renda com influência direta baixa do seu esforço é capaz de atingir independência financeira de forma “extrema” – seguindo o exemplo do autor, em apenas 5 anos de trabalho.

Uma discussão detalhada dos arquetipos é um papo longo, para um outro post.

Passo a passo para a aposentadoria

Ao passo que a regra de praxe do movimento FIRE é a boa e velha regra dos 4%, de calcular os gastos para não ultrapassarem os rendimentos dos investimentos, Fisker destrincha o conceito por inteiro, com uma função matemática que relaciona os aportes mensais com o tempo mínimo de trabalho necessário. A derivação e as especificações são complicadas e maçantes, mas a teoria é interessante.

Imagine uma pessoa aporta 0% do salário mensal. Esta pessoa nunca conseguiria formar sequer uma reserva de emergência, e portanto estaria condenada a trabalhar até o fim da vida sem a previdência social. Aumentando o aporte para 10% do salário, esta pessoa conseguiria juntar uma reserva de emergência de 3 meses de gastos em 9 meses (9 x 10% cobrindo um custo de vida de 90% do salário). Aumentando este aporte para 30% diminuiria o tempo necessário para 3 meses, e ao chegarmos a 50% de aporte, uma coisa interessante acontece: esta pessoa, depois de trabalhar um mês, tecnicamente não precisaria trabalhar o mês seguinte! Aumentando estas economias além dos 50% compraria ainda mais tempo “de sobra” (75% seria um mês e meio de férias para cada mês trabalhado).

Levando este princípio (financial ratios, como Fisker o chama) afundo na reserva de emergência, uma pessoa poderia tirar períodos inteiros sabáticos, por exemplo trabalhando 5 meses para tirar outros 5 meses de folga, ou até mesmo 5 anos por 5 anos de folga. Ao invés disso, podemos elevar o conceito pro investimento, e aí sim aplicar a boa regra dos 4% com uma margem de segurança para saber o quanto tempo seria necessário trabalhar. A fórmula é complicada, mas como um exemplo, aumentar em 50% o aporte atual resultaria num tempo 27 vezes menor (2700%) de trabalho necessário. Uau!

Minimalismo, reaproveitamento e outros lifehacks

Fisker explica várias dicas de como viver com menos, obter coisas duradouras e outras dicas valiosas que ocupariam dezenas de posts neste blog, e já devem ter sido discutidas em outros cantos da internet. Porém, um ponto que salta da página são as dicas de como montar um guarda-roupa.

Fisker sugere um método onde, anotando todas as peças de roupa que se possui (ex: camiseta amarela estampada, jeans claro rasgado, regata cinza listrada…), você pode em seguida ligá-los em diversos outfits (ex: camisa polo + jeans liso escuro + tênis preto = look semi-formal), e partir disso juntar um número de looks suficiente para viver por um ciclo de lavanderia, a partir do qual estes poderão ser reutilizados. Desta maneira, você não compra roupas compulsivamente; cada peça do seu guarda roupa serve outfits específicos!

Conclusão

Early Retirement Extreme é um livro duplamente técnico e prático, recheado de teorias e de dicas práticas para coisas cotidianas. Infelizmente o nível de conteúdo é alto e iniciantes ficarão confusos tentando ler o livro pela primeira vez.

Para quem for lê-lo, minha maior recomendação seria essa: leia o livro com um caderno e calculadora ao lado. Anote todos os conceitos, fórmulas e derivações, e experimente com os números. Seus resultados serão impressionantes.

Para quem se interessou, o livro pode ser comprado aqui.

Abraços!

Anúncios

13 comentários sobre “Resenha do Pinguim #3 – Early retirement extreme de Jacob L Fisker

  1. Malu

    Estou adorando as dicas. Tenho aplicado ao meu cotidiano o novo estilo de ser frugal, e desta vez, não só reorganizarei as finanças mas o guarda roupa também. Acompanhar seus posts nos faz sempre avaliar o modo de vida que levamos e o que podemos mudar.
    Quando puder adicione os links dos livros para conferirmos.
    Obrigada pinguim!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Malu. Que bom que está experimentando com a frugalidade. Realmente é um estilo de vida contagiante! Talvez eu poste com mais detalhes um guia de como organizar o Guarda-roupa, contar as coisas da casa… várias coisas que o livro ensinou.

      Coloquei o link lá no texto.

      Abraços!

      Curtir

  2. Pingback: Fazer é aprender – Pinguim Investidor

  3. Pingback: Reflexões: lições após 1 ano de aprendizado financeiro – Pinguim Investidor

  4. Pingback: Comentário do Pinguim: InfoMoney – 7 sinais de que você nunca será rico – Pinguim Investidor

  5. Pingback: A melhor coisa que o dinheiro pode comprar: F-you Money – Pinguim Investidor

  6. Pingback: O dinheiro é igualmente verde para todos – Pinguim Investidor

Deixe uma resposta para Malu Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s